Morre Raul Hilberg, 'pai' dos historiadores do Holocausto

Autor de 'A destruição dos judeus europeus' morreu no último sábado, vítima de um câncer no pulmão

Agências internacionais,

07 de agosto de 2007 | 18h53

Raul Hilberg, o precursor dos estudos sobre o Holocausto, morreu no último sábado,4, aos 81 anos de câncer no pulmão, informou a Universidade de Vermont nesta terça-feira, 7.  Veja Também Guterman: A morte de um gigante  Judeu nascido em Viena, Hilberg ficou conhecido por seu estudo A destruição dos judeus europeus. Na obra, o autor descreve como a Alemanha nazista construiu a mais letal máquina de matar da história, responsável pela morte de 6 milhões de judeus. Quando começou sua pesquisa, logo após a 2ª Guerra Mundial, Hilberg era um dos únicos estudiosos a demonstrar paixão pelo tema. "Entre a comunidade judaica, o tópico era quase um tabu." "Eu fui adiante com meu trabalho no fim de 1948, quase, eu diria, como um protesto contra o silêncio", disse ele em entrevista a Reuters em 2004. Hilsberg publicou a primeira versão de seu livro em 1961. O estudo trazia detalhes que iam das raízes do anti-semitismo na Alemanha ao funcionamento da burocracia dos campos de concentração. O prosseguimento nas pesquisas pelos vastos arquivos do Holocausto resultou numa edição ampliada do livro, publicada em 2003.  Alguns o criticavam por focar mais nos perpetradores do Holocausto e o "maquinário" que eles criaram do que nas vítimas do genocídio. Hilberg era capaz de trabalhar desapaixonadamente num tema tão espinhoso, mas admitia que às vezes era "engolido" pelo assunto.  "Nos meus sonhos, eu era uma vítima", disse ele em sua última entrevista à Reuters. "Estava a caminho para Auschwitz, em um trem, e confrontava os homens da SS. Era como seu eu fosse matá-los."

Tudo o que sabemos sobre:
Raul HilbergHolocausto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.