Mortos em mina russa chegam a 60; há 30 desaparecidos

Equipes de resgate trabalhando durante a noite encontraram oito corpos e nenhum sobrevivente numa mina de carvão da Sibéria, onde no fim de semana aconteceu explosões que deixaram pelo menos 60 mortos, segundo autoridades.

REUTERS

12 Maio 2010 | 10h49

Três dias depois do acidente na enorme mina de Raspadskaya, na região russa de Kemerovo, cerca de 3.000 quilômetros a leste de Moscou, ainda há 30 desaparecidos, e as esperanças de resgatá-los com vida diminuem a cada dia.

As autoridades dizem que a explosão do sábado à noite ocorreu por acúmulo de gás metano, sendo seguida horas depois por uma explosão ainda mais violenta que danificou o sistema de ventilação do poço principal e prédios na superfície.

Foi o pior acidente em uma mina russa desde março de 2007, quando 110 pessoas morreram por causa de uma explosão de metano na mina de carvão de Ulyanovskaya, na mesma região.

(Reportagem de Steve Gutterman)

Mais conteúdo sobre:
RUSSIA MINA MORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.