Arte/estadão.com.br
Arte/estadão.com.br

'Não podemos descartar novos terremotos', diz prefeito de Lorca

Governo pede que pessoas não voltem às suas casas; número de mortes ainda pode aumentar

estadão.com.br

11 de maio de 2011 | 16h27

MADRI - O prefeito da cidade espanhola de Lorca, Francisco Jódar, afirmou que o local pode sofrer réplicas dos terremotos que mataram ao menos sete pessoas nesta quarta-feira, 11. De acordo com ele, que foi citado pelo jornal El País, "é normal que aconteça um número indeterminado de novos tremores, de magnitude decrescente".

 

Veja também:

video VÍDEO: Imagens da destruição em Lorca

especialINFOGRÁFICO: Os piores desastres dos últimos 50 anos

 

Lorca, situada na região da Múrcia, no sul da Espanha, foi atingida por dois tremores nesta quarta - um de magnitude 5,1 e o outro de 4,4. Jódar afirmou que o governo sabe que "há mortos entre as vítimas, mas que o número ainda não pode ser confirmado". O prefeito também evitou falar sobre quantas pessoas terão de passar a noite fora de casa.

 

Segundo ele, todos os sistemas de emergência locais, regionais e estatais foram acionados. "A Unidade Militar de Emergências está a caminho", disse, detalhando que as equipes chegariam ainda nesta quarta à região. Jódar acrescentou que foram destacados grupos de áreas vizinhas para ajudar nos trabalhos de resgate. "O que estamos fazendo agora mesmo é atender aos feridos e ver as possíveis vítimas, e depois temos todos os serviços de emergência ativos", completou.

 

O próprio governo alertou para que as pessoas não voltem para suas casas por risco de desabamentos. "As pessoas estão nas ruas. O que estamos tentando fazer é preparar lugares para que passem a noite. Pedimos aos centros comerciais da área que administrem seus recursos, como alimentos, cobertores e água", disse o prefeito. Um número de telefone gratuito foi aberto para receber ligações de emergência.

 

O município de Lorca tem pouco mais de 90 mil habitantes. O sul da Espanha está situado sobre uma região onde se encontram as placas tectônicas da Eurásia e Africana. O atrito dessas placas causou o terremoto de L'Áquila, no centro da Itália, em 2009, quando quase 300 pessoas morreram.

 

Com medo de desamabentos, moradores ocuparam as ruas de Lorca

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaterremotoEuropaLorca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.