Antonio Calanni/Associated Press
Antonio Calanni/Associated Press

'Não sou santo', diz Berlusconi sobre escândalos

Primeiro-ministro italiano comentou publicação de gravações de supostas conversas com prostitutas

Reuters,

22 de julho de 2009 | 13h40

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, pressionado pelas acusações de que havia mantido relações com adolescentes e prostitutas de luxo, declarou nesta quarta-feira, 22, que "não é nenhum santo" e se comprometeu a cumprir seu mandato até o fim.

 

Em suas primeiras declarações públicas desde que os jornais publicaram em seus sites gravações de supostos diálogos do premiê italiano com prostitutas, Berlusconi passou a tratar o tema com descaso e ironia.

 

"Há milhares de garotas bonitas e empreendedoras por aí", disse o primeiro-ministro durante a inauguração de uma nova estrada no norte da Itália. "Não sou um santo, todos sabem. Espero que o La Repubblica compreenda também", afirmou, referindo-se ao diário esquerdista que encabeçou os pedidos de investigação sobre sua vida particular.

 

Ao responder uma pergunta sobre as novas obras públicas que serão inauguradas até 2013, quando acaba seu mandato, Berlusconi confirmou que cumprirá seu ciclo no poder. "Ainda estaremos por aqui, porque o que fariam os italianos sem nós?", disse.

 

O site do La Repubblica e da revista semanal L'Espresso publicaram gravações de conversas que dizem ser entre Berlusconi e Patrizia D'Addario, uma prostituta que afirma que ela e outras mulheres receberam dinheiro para participar de festas na casa do premiê em Roma.

 

Na segunda-feira, o advogado de Berlusconi, Niccolò Ghedini, considerou as gravações "totalmente improváveis e produtos da imaginação" e advertiu que seria ilegal sua publicação.

 

Mesmo que Berlusconi tenha tratado com ironia o caso, algumas ramificações políticas da Itália estão observando a controversa vida particular do premiê. Uma pesquisa de opinião publicada na terça-feira mostrou que seu índice de aprovação caiu para abaixo dos 50% pela primeira vez desde que venceu as eleições, no ano passado.

 

A pesquisa mostrou que Berlusconi perdeu quatro pontos percentuais desde maio, quando sua mulher apresentou o pedido de divórcio, desencadeando uma série de revelações sobre sua vida particular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.