Novas provas podem ligar pais a desaparecimento de Madeleine

Reportagem de jornal britânico afirma que testes corroboram provas utilizadas para indiciar casal McCann

Efe,

08 de outubro de 2007 | 18h08

Uma reportagem publicada nesta segunda-feira, 8, pelo jornal londrino Evening Standard informa que especialistas britânicos chegaram a novas provas de DNA que podem vincular Gerry e Kate McCann ao desaparecimento de sua filha Madeleine em Portugal.  Veja TambémFalhas no caso Madeleine Cronologia Casal McCann teme jamais encontrar Madeleine Os resultados de DNA, obtidos do Serviço de Ciência Legista de Birmingham (centro da Inglaterra), corroboram outras provas enviadas por cientistas britânicos a Portugal, e que foram utilizadas pela polícia portuguesa para declarar os McCann suspeitos do desaparecimento da menina, acrescenta o jornal. Segundo o Evening Standard, fontes britânicas consideram que é justificada a decisão dos detetives portugueses de concentrar a investigação nos pais da menina de quatro anos. No entanto, o novo material não ajuda a concluir que Madeleine possa estar morta, acrescenta o jornal. Os resultados foram obtidos a partir da análise de material recolhido do apartamento de onde Madeleine desapareceu, em 3 de maio, do automóvel que os pais alugaram no Algarve e em outros lugares do centro de férias onde a família estava. Os pais insistem em que a filha pode estar viva e têm planos para intensificar sua campanha a fim de encontrar Madeleine. Em setembro, a polícia portuguesa considerou os McCann suspeitos do desaparecimento da menina, que dormia no quarto junto com os irmãos gêmeos de dois anos. Madeleine foi vista pela última vez em 3 de maio em um centro turístico da Praia da Luz, onde passava dias de férias com seus pais e seus irmãos. A menina desapareceu enquanto os pais jantavam em um restaurante do resort.

Tudo o que sabemos sobre:
Madeleine McCann

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.