Novo candidato leva oposição alemã a maior alta em 6 anos--pesquisa

O apoio ao Partido Social Democrata alemão (SPD), de oposição, atingiu o maior nível em seis anos, impulsionado pela nomeação do ex-ministro das Finanças Peer Steinbrueck para enfrentar a chanceler Angela Merkel nas eleições do ano que vem, apontou uma pesquisa.

Reuters

10 de outubro de 2012 | 09h31

A pesquisa Forsa publicada nesta quarta-feira, a terceira em uma semana a mostrar ganhos para o partido de centro-esquerda, mostrou que o SPD subiu um ponto, para 30 por cento. O partido conservador de Merkel também ganhou um ponto, com 36 por cento.

Os ganhos recentes colocam o SPD, principal partido de oposição, com um nível de apoio que não era visto desde novembro de 2006, quando compartilhava o poder com Merkel em uma "grande coalizão" de centro, afirmou a Forsa.

O SPD nomeou Steinbrueck há mais de uma semana como seu candidato a chanceler (primeiro-ministro), e seu estilo combativo deve tornar esta campanha animada.

"Steinbrueck está reunindo esforços e mobilizando os não eleitores", disse o chefe do instituto Forsa, Manfred Guellner.

O ex-ministro das Finanças também afastou as críticas sobre seus lucrativos ganhos com palestras, livros e conselhos empresariais, que dominaram as manchetes por alguns dias na semana passada após sua indicação. Apesar de ainda estar atrás de Merkel na avaliação pessoal, ele diminuiu pela metade a distância em relação à atual chanceler desde sua nomeação.

Ele ficou com 35 por cento na avaliação de aprovação pessoal, um ponto a mais do que na semana passada, mas ainda 11 pontos atrás de Merkel, em que os eleitores confiam mais para lidar com a crise da dívida da zona do euro.

Steinbrueck serviu como ministro das Finanças no governo de Merkel entre 2005 e 2009, mas jurou não compartilhar o poder com ela novamente. Mesmo assim, muitos analistas dizem que o resultado mais provável das eleições será outra "grande coalizão" com os conservadores e o SPD.

(Reportagem de Madeline Chambers)

Tudo o que sabemos sobre:
ALEMANHAAPOIOPARTIDOSTEINBRUECK*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.