Novo chanceler italiano promete ser 'muito firme' com o Irã

O novo chanceler italiano, FrancoFrattini, disse em entrevista publicada na quinta-feira peloFinancial Times que seu país deve seguir o exemplo de outraspotências européias e dos Estados Unidos, que são "muitofirmes" a respeito do Irã. O político conservador afirmou também que a Itália pretendeagir como "facilitadora" entre Irã e EUA para melhorar odiálogo entre esses países. "A Itália vai se empenhar para realmente entrar no clube[dos que pressionam] o Irã", disse ele ao jornal. "A Itália nãoficará isolada por um grupo restrito de parceiros europeus maisos EUA." Os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança--EUA, França, Grã-Bretanha, Rússia e China-- mais a Alemanhaestão tentando convencer o Irã a abandonar seu programa deenriquecimento de urânio, em troca de benefícios políticos ecomerciais. O Ocidente suspeita que o Irã tenha intenção de desenvolverarmas nucleares, e a ONU já impôs três pacotes de sanções aopaís devido à sua recusa em suspender as atividades deenriquecimento de urânio --que Teerã diz ser um direito seu,com finalidades exclusivamente pacíficas de geração deeletricidade. Além disso, os EUA também acusam o Irã de armar milíciasxiitas no vizinho Iraque. Teerã afirma que a instabilidadeiraquiana é resultado da ocupação norte-americana. Frattini, que já foi comissário (ministro) de Justiça eSegurança da União Européia, defendeu que a Itália aproveitesuas relações comerciais com o Irã, mas não quis dizer se seriafavorável a sanções específicas contra o setor energéticoiraniano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.