Novo premiê espanhol diz que crise exige nova política econômica

O primeiro-ministro eleito da Espanha, Mariano Rajoy, apelou a todos os espanhóis que trabalhem juntos para superar a crise de dívida e prometeu uma nova política econômica para lidar com o desemprego, cuja taxa no país é mais que duas vezes maior que a média da União Europeia.

REUTERS

03 de dezembro de 2011 | 13h10

"O que está por vir para a Espanha vai ser difícil... sair da crise não é apenas tarefa do governo, mas de todos os espanhóis", disse ele a jornalistas em Pontevedra, Galiza, no noroeste da Espanha.

"É complicado no momento... Há mais de 5 milhões de pessoas na Espanha sem trabalho, que estão passando por um momento difícil, e isto requer a implementação de uma outra política econômica e explicá-la adequadamente", acrescentou.

Além de duas publicações no Twitter, estes foram os primeiros comentários de Rajoy desde que seu partido de centro-direita ganhou com uma maioria absoluta a eleição parlamentar em 20 de novembro. Ele deve ser empossado como primeiro-ministro em 19 de dezembro.

Os mercados financeiros e os espanhóis estão igualmente ansiosos para ouvir mais detalhes sobre os planos econômicos do partido que, provavelmente, incluirá uma onda de novas medidas de austeridade.

A reforma do mercado de trabalho para criar mais empregos e a reestruturação do setor bancário para romper o estrangulamento de crédito podem estar no topo da agenda.

Rajoy deve apresentar sua política a muitos dos líderes da zona do euro em uma cúpula do Partido Popular Europeu em Marselha, em 7 e 8 de dezembro.

(Por Judy MacInnes)

Tudo o que sabemos sobre:
ESPANHARAJOYPOLITICA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.