Novo premiê russo deve disputar a presidência

Indicação de Zubkov para a chefia de governo o transforma no mais provável sucessor de Vladimir Putin

Reuters e Ansa,

13 de setembro de 2007 | 09h16

Viktor Zubkvo, que surpreendeu a Rússia ao ser nomeado primeiro-ministro após o presidente Vladimir Putin dissolver o governo, disse nesta quinta-feira, 13, que pretende reformular o gabinete e que talvez dispute a presidência em 2008. O presidente Vladimir Putin nomeou Zubkov na quarta-feira, o que deixou perplexos analistas que esperavam a indicação de um peso-pesado da política. O novo premiê ocupava até então a direção de um obscuro órgão de combate à lavagem de dinheiro. Falando a jornalistas após reunião com parlamentares que devem confirmar na sexta-feira sua indicação, Zubkov disse: "Se conseguir algo como primeiro-ministro, não descarto a possibilidade (de disputar a presidência)". O cargo de primeiro-ministro é visto como um trampolim para a presidência; o próprio Putin adotou essa estratégia há oito anos, quando foi nomeado por Boris Ieltsin antes de se candidatar. Zubkov, de 65 anos, havia sido gerente de uma fazenda coletiva soviética e na década de 1990 trabalhou com Putin na prefeitura de São Petersburgo. Segundo ele, "a estrutura do governo não é ideal", "a reforma administrativa não foi muito eficaz" e "certamente haverá mudanças estruturais".  Apoio de PutinA maioria dos observadores esperava a indicação do vice-premiê Sergei Ivanov para a chefia do gabinete, prenunciando uma possível candidatura presidencial dele quando Putin deixar o cargo, no ano que vem. Foi consenso na quinta-feira que Putin quis preservar o mistério sobre quem ele apóia à própria sucessão. "O presidente realizou uma manobra muito elegante: conforme esperado, ele mudou o governo, mas não criou um rival para si", disse o diário econômico Vedomosti. O banco de investimentos Renaissance Capital avaliou que Zubkov, apesar das ambições que declara, dificilmente será presidente e deve ser visto como uma figura transitória. "Zubkov está muito bem posicionado para lidar com o período potencialmente instável em que haverá uma transição de poder de Vladimir Putin para o novo presidente", disse nota do banco. "A nomeação de Zubkov é o mais claro indicador até agora de que o Kremlin está determinado a lidar com esse período de forma muito forte e confiante, evitando portanto a instabilidade." Alguns jornais russos sugeriram que a função anterior de Zubkov no combate à lavagem de dinheiro dá a ele informações privilegiadas sobre membros da elite russa que tenham transferido fundos para paraísos fiscais. Reforma ministerialFontes disseram a jornais que liberal German Gref, ministro da Economia, deve deixar o gabinete, possivelmente dando lugar a Andrei Kostin, presidente-executivo do banco público VTB Bank, que recentemente lançou ações na Bolsa de Londres. Gref vem sendo o fiador da abertura econômica russa a investidores privados, combatendo uma ala do governo que defendia mais participação do Estado na economia.

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAPREMIEPRESIDENCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.