Número de mortos em explosão de mina na Ucrânia chega a 80

Outros 20 trabalhadores seguem presos após acidente de domingo provocado pela alta concentração de metano

Associated Press e Efe,

19 de novembro de 2007 | 08h18

O número de mortos na explosão de metano em uma mina de carvão no leste da Ucrânia subiu para 80, segundo informaram nesta segunda-feira, 19, fontes oficiais ucranianas. Outros 20 trabalhadores continuavam presos no local.   A explosão, causada pela alta concentração de metano, aconteceu na madrugada de domingo, a uma profundidade de 1.078 metros. "O destino dos desaparecidos é incerto", declarou o primeiro-ministro, Viktor Yanukovich. Um porta-voz do sindicato dos mineiros disse que as chances de eles serem encontrados com vida são pequenas.   Andriy Klyuyev, chefe da comissão que investiga o caso, porém, mostrou-se mais otimista. "Ainda há possibilidades de encontrá-los com vida", disse. Uma comissão governamental investiga as circunstâncias da tragédia.   Segundo os últimos dados fornecidos pelas autoridades locais, no momento da explosão 456 pessoas trabalhavam na mina, sendo que 186 delas estavam nas galerias atingidas pela explosão.   De acordo com dados oficiais, 457 trabalhadores estavam na mina no momento da explosão. Mais de 367 foram resgatados. Funcionários do governo informaram que 28 foram internados em um hospital.   Fontes do Comitê de Segurança Industrial, citadas nesta segunda pelo jornal digital Korrespondet.net, indicaram que o incêndio que se seguiu à explosão de metano ainda não foi controlado. Os trabalhos de busca precisaram ser interrompidos nesta segunda pelo risco de uma nova explosão."O fogo continua. A temperatura aumentou, assim como a concentração de dióxido de carbono. Por este motivo, as equipes de resgate tiveram que se refugiar em sua base subterrânea", disse Mikhail Volyntsev, membro da comissão investigadora, citado pelo Korrespondent.net.Segundo Volyntsev, caso as chamas se propaguem para os dutos de ventilação "pode ocorrer uma nova explosão, pois por ali passa um gasoduto de metano de alta concentração".A assessoria de imprensa da região de Donetsk, em cuja jurisdição está localizada a mina Zasiadko, informou que 63 corpos já tinham sido levados à superfície, onde estão sendo identificados. Uma equipe de 14 psicólogos atendia os familiares das vítimas, informou o porta-voz do Serviço de Emergências nacional, Igor Krol. As autoridades da região de Donetsk decretaram três dias de luto em memória das vítimas do acidente.   As minas da Ucrânia são consideradas entre as mais perigosas do mundo. Em 2004, aproximadamente 30 trabalhadores morreram em uma explosão na mina de carvão de Krasnolimanskaya, também em Donetsk. Em 2002, também na mina Zasyadko, cerca de 15 pessoas morreram. Em janeiro de 2001, nove mineiros perderam a vida em Krasnolimanskaya.   Matéria ampliada às 18h54

Tudo o que sabemos sobre:
Ucrâniamina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.