Ludovic Marin/Agence France-Presse
Ludovic Marin/Agence France-Presse

Onda de calor não dá trégua na Europa e provoca oito mortes

O intenso calor, procedente do Saara, é recorde absoluto desde o início do registro de dados meteorológicos no século XIX

AFP, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2019 | 14h45

PARIS - A Europa sofre neste sábado, 29,  com as temperaturas elevadas, no sexto dia de uma onda de calor que já provocou temperaturas recorde no continente, oito mortes em três países, grandes incêndios e picos de poluição.

O fenômeno, inédito para um mês de junho por sua amplitude e precocidade - os meses mais quentes no hemisfério norte são historicamente julho e agosto -, matou oito pessoas (duas na Espanha, duas na Itália e quatro na França).

O intenso calor, procedente do Saara, seguia em direção à região norte da França. Paris se preparava para o dia mais quente da semana, com máxima prevista entre 36 e 38 graus, de acordo com o Météo-France.

Recorde absoluto desde o início do registro de dados meteorológicos no século XIX, o termômetro atingiu na sexta-feira 45,9 graus no departamento de Gard, sul do País. A temperatura chegou a 44,1 graus em agosto de 2003 no mesmo departamento, ano em que a onda de calor matou 15.000 pessoas.

Neste sábado, o governo reduziu o nível de alerta de "vermelho", ativado nos quatro departamentos do sul da França, para "laranja", que afeta 80 departamentos, contra os 75 da véspera. Quase 60 incêndios foram declarados no país, que arrasaram mais de 600 hectares e dezenas de casas.

Na Espanha, a temperatura chegou a 39,4 graus em Madri e superou 40ºC em algumas cidades da Andaluzia (sul), como Jáen. As chamas atingiram na sexta-feira à noite a área de Almorox (centro) e devastaram 1.600 hectares, de acordo com os bombeiros. O fogo também afetou Madri e Toledo, a 60 km de distância.

Na Catalunha, um grande incêndio foi controlado neste sábado, de acordo com o governo regional, que ainda monitora alguns focos. "As condições continuam sendo extremas hoje e as próximas horas serão decisivas", afirma um comunicado.

Na Alemanha, a temperatura deve alcançar 39 graus no domingo.  De acordo com os serviços especializados do país, a média de temperatura de junho superou na sexta-feira em 4ºC a do período internacional de referência 1981-2010.

Na Itália, as temperaturas esperadas eram menos sufocantes que na véspera: 35ºC na Toscana e no Lacio (oeste) e 34 graus em Piamonte e na Lombardía (norte).

Na última sexta-feira, 28, a temperatura chegou a 40ºC em Piamonte. Na quinta-feira, 27, os termômetros atingiram 38,9ºC na República Tcheca e 38ºC na Alemanha. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.