ONU deve ouvir separatistas da Geórgia sobre missão, diz Rússia

A Organização das Nações Unidas deveconsultar os líderes da Abkházia, região separatista daGeórgia, sobre o futuro de uma missão de paz da ONU no local,disse o ministro das Relações Exteriores russo nestaquarta-feira. Sergei Lavrov enviou a mensagem ao secretário-geral da ONU,Ban Ki-moon, por telefone, nesta terça-feira, afirma oministério em um comunicado. A declaração diz que Lavrov e Ban reconheceram anecessidade de prosseguir com a missão de observação da ONU naAbkházia, que operou no local por mais de uma década até aguerra entre Geórgia e Rússia no mês passado. Mas acrescenta: "A parte russa ressaltou a necessidade delevar em consideração a posição de Sukhumi com relação aatividades da ONU na Abkházia". Sukhumi é a capital daAbkházia, uma região apoiada por Moscou na costa georgiana doMar Negro. A Rússia reconheceu tanto a Abkházia quanto a Ossétia doSul, outra região separatista da Geórgia, como estadosindependentes, embora somente a Nicarágua tenha seguido o gestode Moscou. Os comentários de Lavrov seguem sugestões similares do diaanterior do porta-voz do primeiro-ministro russo, que conclamoua Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) adiscutir sua própria missão na Ossétia do Sul com a regiãoseparatista. As missões de observação da OSCE e da ONU dentro das duasregiões rebeldes, que vinham operando desde as guerrasseparatistas dos anos 1990, são vistas pelo ocidente comoelementos cruciais de um mecanismo de segurança para a Geórgiadepois da guerra do mês passado. O acordo de cessar-fogo de 8 de setembro mediado pelopresidente francês Nicolas Sarkozy afirma que as missões daOSCE e da ONU iriam continuar suas atividades com o mesmonúmero e formato de antes do conflito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.