ONU diz que milhares fugiram da Ossétia do Sul para a Rússia

Órgão para refugiados afirma que população foge para o lado russo por conta da ofensiva contra separatistas

Agências internacionais,

08 de agosto de 2008 | 11h48

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) sustentou nesta sexta-feira, 8, que conta com informações de que milhares de pessoas estão deixando a Ossétia do Sul devido aos enfrentamentos armados entre forças separatistas e o Exército da Geórgia. Cerca de 140 ônibus levando refugiados de Ossétia do Sul chegaram à região russa de Ossétia do Norte, informou a agência russa Interfax, citando um porta-voz do governo local. Mais refugiados devem chegar no sábado.   Veja também: Rússia envia tropas e tanques para a Geórgia Entenda o conflito separatista na Geórgia e a relação russa Assista ao vídeo no Youtube   Professor comenta a situação no Cáucaso    Segundo dados transmitidos por funcionários de imigração da Rússia a representantes do Acnur, ao longo da última noite "milhares de pessoas" da Ossétia do Sul foram para a vizinha Ossétia do Norte, em território russo. A população estimada da Ossétia do Sul é de 50 mil habitantes, precisou o organismo.   Após reconhecer que as informações dessa zona ainda são poucas, o Acnur assinalou que um de seus colaboradores que se encontra na região disse esta manhã que "muitos edifícios e casas foram destruídos e que apenas militares aparecem nas ruas". "A água está escassa, os transportes não funcionam e as lojas que vendem comida ficaram desabastecidas", declarou o porta-voz desse organismo humanitário, Ron Redmond.   Segundo ele, "os governos de Geórgia e Rússia estão respondendo às necessidades imediatas" dos deslocados e até o momento "não solicitaram ajuda internacional". As operações do Acnur na Geórgia beneficiam atualmente 275 mil pessoas, um número que inclui os deslocados internos pelo conflito na Ossétia do Sul e na Abkházia.   O governo da Geórgia assegurou que suas Forças Armadas controlam quase toda Ossétia do Sul, após uma poderosa contra-ofensiva depois dos ataques separatistas, enquanto denunciou que a Rússia tinha bombardeado seu território.   O presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili, acusou nesta sexta-feira a Rússia de atacar o território de seu país em apoio a grupos separatistas da região da Ossétia do Sul. "A Rússia está lutando uma guerra contra nós em nosso território", disse ele, em uma entrevista à rede de TV CNN. "Isto é uma clara intrusão no território de um país alheio."   A Geórgia acusa a Rússia de praticar uma ofensiva militar terrestre e aérea contra seu território como retaliação aos conflitos entre tropas georgianas e separatistas na região de Ossétia do Sul.   As tropas da Geórgia cercaram a capital da Ossétia do Sul, Tskhinvali, nesta sexta-feira, depois de uma noite de intensos conflitos e ofensivas aéreas na região. Pelo menos 15 civis teriam sido mortos e há relatos de que os moradores estariam se escondendo em porões durante os conflitos.   (Com Efe e BBC Brasil)

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaGeórgiaOssétia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.