ONU se diz preocupada com direitos humanos na França, México e EUA

Situação nesses países é preocupante, diz alta comissária Navi Pillay

Efe

13 de setembro de 2010 | 11h09

GENEBRA - A alta comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos, Navi Pillay, denunciou nesta segunda-feira, 13, a expulsão de ciganos na França, o massacre de emigrantes no México e algumas leis contra o terrorismo nos EUA como situações de especial preocupação em matéria de direitos humanos.

 

"As novas políticas da França para com os ciganos, incluindo o desmantelamento de seus assentamentos e as deportações coletivas rumo a seu país de origem. Isto só pode exacerbar o estigma dos ciganos e a extrema pobreza em que vivem", disse Navi ao inaugurar a 15ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU.

 

A comissária também destacou como preocupante "a situação dos emigrantes que saem do México ou transitam pelo México", à luz do massacre de 72 deles aparentemente pelo crime organizado.

 

O terceiro motivo de preocupação que Navi destacou foi a prática dos EUA de autorizar "assassinatos seletivos de suspeitos de terrorismo em circunstâncias que desafiam as normas internacionais estabelecidas para proteger o direito à vida e o império da lei".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.