ONU se reúne novamente a pedido da Geórgia

Está é a quarta reunião do conselho sem resultado em três dias sobre a situação na Ossétia do Sul

Efe

10 de agosto de 2008 | 11h04

O Conselho de Segurança da ONU tentará neste domingo, 10, novamente, pela quarta vez em três dias, chegar a um acordo sobre o conflito na Ossétia do Sul, Geórgia, depois que esse país pediu uma reunião dos membros do organismo. Está é a quarta reunião do conselho em três dias sobre a situação na região. As últimas três não obtiveram nenhum avanço significativo.   Veja também: Geórgia anuncia retirada de tropas da capital da Ossétia do Sul Entenda o conflito separatista na Geórgia Assista ao vídeo no Youtube  Professor comenta a situação no Cáucaso  Galeria de fotos do conflito    "A situação muda a cada minuto, por isso, decidimos propor novas consultas", disseram à Agência Efe fontes diplomáticas georgianas, depois que o principal órgão das Nações Unidas reconheceu no sábado à noite que é incapaz de pedir conjuntamente o cessar-fogo.Fontes diplomáticas russas confirmaram também à Agência Efe a convocação urgente de uma nova reunião nas Nações Unidas a pedido da Geórgia, e argumentaram que, embora há algumas horas as posições das partes estavam muito afastadas, a situação "está mudando muito rapidamente".Essas fontes afirmam que, embora os membros do Conselho de Segurança, por enquanto, não contem com uma minuta de declaração conjunta sobre a qual trabalhar hoje, "poderia sair algo" da reunião.As novas negociações, convocadas para as 11h (12h de Brasília), consistirão primeiro a uma série de consultas a portas fechadas e depois uma reunião aberta.Esta convocação é a quarta em três dias e ocorre depois que o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, emitiu uma contundente chamada para o fim das hostilidades e a contenção das partes.Em declaração por escrito, Ban pediu que todas as partes "parem imediatamente as hostilidades e se comprometam, sem maior demora, com negociações que consigam o estabelecimento da paz".Acrescentou que, para que os esforços diplomáticos internacionais empreendidos para solucionar a situação tenham êxito, "os contingentes armados que não estão autorizados pelos respectivos acordos da Ossétia do Sul devem abandonar a zona de conflito".Após apelar ao princípio de integridade territorial dos Estados, Ban pediu que as partes se abstenham de realizar mais ações que possam prejudicar os esforços para resolver os conflitos na Geórgia.Em sua declaração, o secretário-geral também reivindicou que sejam adotadas "imediatamente" as medidas necessárias para enfrentar a crise humana gerada.

Tudo o que sabemos sobre:
Ossétia do SulRússiaONUGeórgia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.