Operação deixa seis guerrilheiros mortos na Chechênia

Forças de segurança antiterrorismo voltaram a intensificar ações no país desde ataque à Inguchétia em junho

Efe,

25 de julho de 2009 | 08h58

Seis guerrilheiros foram mortos durante uma operação especial realizada no sudoeste da Chechênia, no distrito de Urus-Martan, informou neste sábado, 25, o Ministério do Interior checheno.

 

"Um grupo de guerrilheiros se escondia em uma casa no povoado de Goiti. Policiais isolaram a casa pela manhã e os guerrilheiros abriram fogo contra os agentes", relatou o titular da pasta do Interior, Ruslan Alkhanov. A identidade dos guerrilheiros ainda não foi obtida, segundo a agência oficial "RIA Novosti".

 

Antes, cinco policiais ficaram feridos quando foram ao imóvel para retirar uma mulher e a duas crianças. A Polícia encontrou armas e munição na casa.

 

Em 16 de abril, as autoridades da Rússia suspenderam o regime de operações antiterrorista em todo o território da Chechênia, que esteve em vigor durante cerca de dez anos. No entanto, oito dias depois, o governo russo reimplantou o regime em três regiões da Chechênia: Shali, Shatoi e Vedeno.

 

As forças de segurança da Chechênia intensificaram as operações antiterroristas depois do atentado de 22 de junho contra o presidente da vizinha república da Inguchétia, Yunus-bek Yevkurov, que ficou gravemente ferido.

 

Anteriormente, Yevkurov e o presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov, tinham fechado um acordo para realizar operações antiterroristas conjuntas no território da Inguchétia.

Tudo o que sabemos sobre:
ChechêniaterrorismoRússiaguerrilha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.