Oslo é a cidade mais cara, Zurique tem melhor poder de compra

Oslo é a cidade mais cara do mundo, à frente de Zurique e Tóquio, mas os moradores bem remunerados do centro financeiro suíço possuem o melhor poder de compra, de acordo com um estudo divulgado nesta sexta-feira.

CATHERINE BOSLEY, Reuters

14 de setembro de 2012 | 11h45

A pesquisa anual de 72 cidades do banco suíço UBS apontou que a cidade-natal do banco, Zurique, tinha a média salarial mais alta do mundo e o melhor poder de compra.

O estudo avaliou o preço de uma cesta de 122 bens e serviços, ajustados a flutuações cambiais. O índice de custo de vida foi calculado pela divisão do preço dos bens pelo salário líquido por hora ponderado em 15 setores.

"Em Tóquio, é preciso nove minutos de trabalho para ganhar o suficiente para comprar um Big Mac, enquanto em Nairóbi, precisa-se de 84 minutos", disse o estudo.

Os moradores de Zurique precisam trabalhar 13 minutos pelo hambúrguer, mas outros produtos eram relativamente mais baratos que em Tóquio, o que colocou a cidade suíça no topo do índice de poder de compra.

"Os trabalhadores em Zurique podem comprar um iPhone depois de 22 horas de trabalho; em Manila, em contraste, demora cerca de 20 vezes mais", afirmou o UBS.

Os trabalhadores precisam de 42 minutos em Istambul e 29 minutos em Xangai para comprar um Big Mac, enquanto em Nova York e Hong Kong bastam 10 minutos de trabalho.

Os lugares mais baratos para morar são Nova Délhi e Mumbai. Nova York é o sexto mais caro, Moscou é o 40o e Xangai, o 49o.

A pesquisa também avaliou as horas de trabalho em cada cidade e descobriu que o menor tempo de serviço é em Paris, Lyón e Copenhague. Já os trabalhadores na Ásia, África, Oriente Médio e América do Sul são os que mais trabalham, mais de 2.000 horas por ano.

(Reportagem de Catherine Bosley)

Tudo o que sabemos sobre:
SUICACIDADESMAISCARASPESQUISA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.