Otan chega a acordo para adesão de Croácia e Albânia

Negociações sobre entrada da Geórgia e Ucrânia na Aliança devem continuar na quinta-feira

Efe,

02 de abril de 2008 | 17h33

Os líderes da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) chegaram a um acordo nesta quarta-feira, 2, para convidar Croácia e Albânia para começar as negociações de adesão à Aliança, declarou o porta-voz da organização, James Appathurai.   Veja também: Alemanha rejeita entrada de Ucrânia e Geórgia na Otan Não agiremos como crianças ofendidas, diz Rússia sobre Otan Rússia diz que entrada da Ucrânia na Otan traria crise profunda Bush promete pressionar por adesão de Ucrânia e Geórgia à Otan   Sobre a entrada da Macedônia, outro país dos Bálcãs, o porta-voz afirmou que todos os Aliados estão de acordo que "deveriam oferecer o quanto antes as negociações para a adesão". "Não é segredo que a Grécia pode não aprovar o convite até que se resolva a questão do nome (da ex-república iugoslava)", admitiu.   Appathurai acrescentou que decisões finais serão anunciadas na quinta-feira, 3, quando o conselho estará em reuniões formais. As conversas sobre a adesão da Geórgia e Ucrânia "continuarão amanhã", dando a entender que os chefes de Estado não chegaram num acordo sobre o assunto. "As portas da Otan estão abertas para ambos, isso é um princípio unânime entre todos os membros", destacou o porta-voz.    A Otan deve discutir os passos para o ingresso da Ucrânia e Geórgia, duas antigas repúblicas soviéticas no encontro desta semana na Romênia. O vice-ministro russo de Relações Exteriores, Grigory Karasin, afirmou durante uma audiência parlamentar que "a entrada da Ucrânia na Otan iniciaria uma crise profunda nas relações" entre os dois países.   Ainda nesta quarta-feira, o ministro de Assuntos Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, afirmou que a resposta do Kremlin à eventual ampliação da Otan será pragmática e madura. "Vamos reagir com pragmatismo, não como crianças ofendidas que batem a porta e correm", disse o chefe da diplomacia russa em um discurso na Duma (Câmara dos Deputados).   Os Estados Unidos apóiam a entrada da Ucrânia e Geórgia na Aliança, o que causou mal-estar em Moscou. Em discurso em Bucareste, George W. Bush disse nesta quarta que a porta da Otan deve "permanecer aberta aos que a procuram", e se pronunciou também a favor de iniciar um diálogo intensificado com Montenegro e Bósnia-Herzegovina.     (Matéria ampliada às 18h45)  

Tudo o que sabemos sobre:
OtanCroáciaAlbânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.