Otan desenvolverá escudo antimísseis conjunto, diz Obama em Lisboa

Novo sistema deve proteger todos os países europeus da aliança, EUA e Canadá

REUTERS

19 de novembro de 2010 | 18h10

Obama, Sarkozy, Zapatero e Cameron, antes de foto oficial. Pablo Monsivais/AP  

LISBOA - O presidente americano, Barack Obama, disse nesta sexta-feira, 19, que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) chegou a um acordo par implementar um sistema antimísseis conjunto para todos os 28 países do bloco.

Veja também:

mais imagens Galeria de fotos: Cúpula de Lisboa

"Tenho o prazer em anunciar que, pela primeira vez, concordamos em desenvolver um sistema de defesa antimísseis suficientemente capaz de cobrir todo o território dos países europeus da Otan e os EUA", disse Obama a jornalistas após o fim de uma reunião, no primeiro dia da cúpula da Otan em Lisboa.

Na reunião de hoje, a Otan decidiu redefinir sua estratégia de ação para os próximos anos. O bloco pretende combater novas ameaças como o terrorismo e desenvolver uma parceria estratégica com a Rússia.

A Otan deve propor no sábado à Rússia um projeto de cooperação em sistema de defesa antimísseis. Segundo o secretário-geral da aliança, Anders Fogh Rasmussen, o acordo prevê uma adequação entre os escudos russo e da Otan.

 

No segundo dia da cúpula, a aliança atlântica deve formalizar um novo prazo para retirada de tropas no Afeganistão e a entrega do controle da segurança do país aos afegãos.

 

De acordo com o secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, as primeiras tropas devem deixar o país em 2011 e a retirada deve ser concluída em 2014.

Leia ainda:

linkRetirada do Afeganistão deve ser concluída até 2014

linkOtan deve propor coooperação à Rússia em defesa antimísseis

Tudo o que sabemos sobre:
PORTUGALOTANOBAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.