Otan diz que não há sinal de retirada de tropas russas da fronteira ucraniana

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) não viu sinais até o momento de que dezenas de milhares de tropas russas estejam se retirando de locais próximos à fronteira com a Ucrânia, disse um funcionário da Otan nesta terça-feira, apesar de uma declaração da Rússia afirmando que soldados tinham voltado para suas posições permanentes.

Reuters

29 de abril de 2014 | 12h45

O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, disse ao secretário de Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, em um telefonema na segunda-feira que as forças russas, que iniciaram exercícios perto da fronteira na semana passada, haviam voltado para suas posições, de acordo com o governo russo.

"Atualmente nós não temos nenhuma informação que indique uma retirada das tropas russas da fronteira ucraniana. Continuamos a exortar a Rússia a respeitar o acordo de Genebra e a recuar todas as suas tropas ao longo da fronteira com a Ucrânia, em favor da diplomacia e do diálogo", disse um funcionário da Otan à Reuters, após ser questionado sobre a afirmação de Shoigu.

(Reportagem de Adrian Croft)

Tudo o que sabemos sobre:
UCRANIARUSSIAOTANTROPAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.