Otan diz que referendo escocês não afetará papel da Grã-Bretanha na aliança militar

O secretário-geral da Organização para o Tratado do Atlântico Norte (Otan), Anders Fogh Rasmussen, disse nesta segunda-feira que não acredita que o referendo desta semana sobre a independência da Escócia irá minar a contribuição britânica à aliança, seja qual for o resultado.

REUTERS

15 de setembro de 2014 | 10h59

"Sem querer interferir com o debate às véspera do referendo, não vejo nenhum desfecho do referendo escocês tendo impacto na contribuição da Grã-Bretanha à Otan”, declarou Rasmussen em resposta a uma pergunta em um evento realizado pelo centro de pesquisas Carnegie Europa.

Se os escoceses optarem pela separação, o país teria que se candidatar à Otan, mas Rasmussen não soube dizer quanto tempo o orocesso levaria.

“Se um novo Estado independente quiser ser membro da Otan, terá que fazer a solicitação, e tal pedido será tratado exatamente da mesma maneira que todos os outros, e irá requerer consenso, unanimidade dentro da aliança para que se aceite um novo membro”, afirmou o secretário.

(Por Adrian Croft)

Mais conteúdo sobre:
GRABRETANHAOTANESCOCIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.