Outros ativistas do Greenpeace deixam a Rússia

Mais seis dos 30 ativistas do Greenpeace detidos na Rússia por um protesto contra a exploração de petróleo no Ártico deixaram o país nesta sexta-feira sob uma anistia, informou o grupo ambientalista.

Reuters

27 de dezembro de 2013 | 08h34

A partida de cinco britânicos e de um canadense acontece após os primeiros integrantes dos "30 do Ártico" terem deixado a Rússia, na quinta-feira. Todos os 26 ativistas não russos agora estão autorizados a deixar o país, disse o Greenpeace.

"Acabou. Estamos finalmente livres de verdade", disse Alex Garris, de 27 anos, de Devon, na Grã-Bretanha.

O tratamento da Rússia aos ativistas de 18 países, incluindo uma brasileira, despertou duras críticas de nações ocidentais e de celebridades. Os ativistas passaram dois meses presos e poderiam ser condenados a até sete anos de prisão por acusação de vandalismo.

As acusações foram retiradas sob uma anistia aprovada este mês, que segundo críticos foi parte de uma campanha do presidente Vladimir Putin para melhorar a imagem da Rússia antes dos Jogos Olímpicos de Inverno, em Sochi, em fevereiro.

(Reportagem de Alexei Anishchuk)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAGREENPEACEATIVISTAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.