Paciente espanhol com Ebola permanece em estado estável em hospital de Madri

Hospital Carlos 3º esvaziou todo o sexto andar para tratar os dois pacientes, de acordo com um sindicato do setor de saúde

Rodrigo de Miguel, REUTERS

07 de agosto de 2014 | 08h34

O primeiro europeu infectado com o vírus Ebola, que matou mais de 932 pessoas na África Ocidental, o padre espanhol Miguel Pajares, estava em estado estável em um hospital em Madri nesta quinta-feira, após ter sido buscado na Libéria, disseram representantes do setor de saúde.

Pajares, de 75 anos, estava trabalhando para uma organização não governamental na Libéria e foi repatriado junto a sua colega Juliana Bohi, uma freira que não contraiu a doença.

A Libéria declarou Estado de emergência por conta da crise do Ebola.

“Os pacientes chegaram bem, embora desorientados. Ambos agora estão em quarentena”, disse o representante de saúde de Madri Javier Rodriguez em uma coletiva de imprensa.

O avião médico que voou da Libéria trazendo Pajares e Juliana de volta à Espanha pousou em uma base militar de Madri pela manhã (horário local), e os dois pacientes foram escoltados pela polícia para o hospital Carlos 3º.

O hospital esvaziou todo o sexto andar para tratar os dois pacientes, de acordo com um sindicato do setor de saúde.

Altamente contagioso, o Ebola, que ainda não possui cura, mata mais da metade das pessoas que o contraem. Vítimas sofrem de febre, vômito, diarreia e hemorragia externa e interna.

Tudo o que sabemos sobre:
ESPANHAEBOLAPACIENTEESTAVEL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.