Padre católico da Itália é esfaqueado na Turquia

Um padre católico foi esfaqueado em suaprópria igreja na cidade de Izmir, no oeste da Turquia, nestedomingo, de acordo com a polícia, num incidente que remonta aum tiroteio fatal com outro padre italiano na Turquia, em2006. O padre, identificado como Adriano Franchini, foi ferido noestômago e levado para o hospital. Franchini não corria riscode morte, segundo um porta-voz. A polícia deteve três pessoas, de acordo com o porta-voz,que acrescentou ser muito cedo para dizer qual foi a causa doataque. A Anatolian, agência de notícias estatal da Turquia,informou que um homem de 19 anos era suspeito de ter esfaqueadoo padre. O incidente ocorreu após uma série de ataques a alvoscristãos na Turquia, país de maioria muçulmana, realizadosgeralmente por jovens. Em outra ocasião, o padre católico Andrea Santoro foiatingido com um tiro em sua igreja, na cidade de Trabzon, emfevereiro de 2006. O autor do crime, um adolescente,encontra-se preso atualmente. Em abril deste ano, três cristãos --um alemão e outros doisturcos-- foram assassinados em uma editora de Bíblias na cidadede Malatya com as gargantas cortadas. O julgamento dossuspeitos já foi iniciado. Ainda neste ano, o jornalista Hrant Dink, cristão, foimorto do lado de fora de seu escritório em Istambul por umgrupo de jovens armados ultranacionalistas. A União Européia há muito protesta sobre o fato da Turquia,candidata a integrar o bloco, não conseguir proteger aliberdade religiosa de sua minoria cristã, que mal totaliza 100mil pessoas numa população total de 75 milhões. Tanto no assassinato de Dink quanto nos de Malatya, aimprensa turca sugeriu que elementos nacionalistas nas forçasde segurança podem ter dado cobertura aos criminosos, ou aomenos ignorado sinais de que um ataque era provável. (Por Inci Ozturk)

REUTERS

16 de dezembro de 2007 | 15h40

Tudo o que sabemos sobre:
TURQUIAPADREMORTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.