Pai de Madeleine reafirma esperança de encontrar a filha viva

Gerry minimiza declaração de porta-voz, que disse que a família acreditava na 'probabilidade' da morte de Maddie

Efe e Ansa,

17 de outubro de 2007 | 09h12

Gerry McCann, o pai de Madeleine, a menina britânica desaparecida em Portugal, reafirmou nesta quarta-feira, 17, que a família ainda tem esperanças de encontrar a criança, apesar de a polícia portuguesa não descartar a possibilidade de que ela esteja morta.  Veja TambémFalhas no caso Madeleine Cronologia  Numa nota no site dedicado à busca de Madeleine, Gerry McCann minimizou a importância das declarações dadas na terça pelo seu porta-voz, Clarence Mitchell, de que a família acredita que há uma "probabilidade" de que a menina esteja morta. "Kate e eu não aceitamos a 'probabilidade' de que Madeleine esteja morta. Sabemos que é uma possibilidade. No entanto, como não há provas de que ela tenha sofrido algum dano, temos ainda esperanças de que Madeleine será achada viva", afirmou. O pai da menina elogiou a revisão do caso ordenada por Paulo Rebelo, novo chefe da investigação portuguesa sobre o desaparecimento de Madeleine. Mitchell, nomeado recentemente porta-voz oficial da família, admitiu pela primeira vez que os pais aceitam que há uma probabilidade de sua filha esteja morta."Kate e Gerry são suficientemente realistas e sabem que há uma probabilidade de que ela esteja morta. Não perderam a esperança de que esteja viva", ressaltou Mitchell, em declarações à imprensa. O porta-voz também minimizou a importância das últimas informações de que a polícia portuguesa tem em seu poder um computador utilizado por Gerry McCann em Portugal. Segundo Mitchell, os investigadores não encontrarão nada de interesse no computador, utilizado para redigir algumas notas e números de telefones de jornalistas. Madeleine McCann, de quatro anos, desapareceu em 3 de maio do quarto onde dormia com seus dois irmãos num hotel na Praia da Luz, no Algarve (sul de Portugal). Os seus pais jantavam com amigos num restaurante próximo.

Tudo o que sabemos sobre:
Madeleine McCann

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.