Pai de Madeleine volta ao trabalho após 6 meses afastado

Gerry McCann é cardiologista no interior da Inglaterra e fará jornada de trabalho reduzida

EFE

01 de novembro de 2007 | 10h32

Gerry McCann, pai de Madeleine, a menina desaparecida em 3 de maio em Portugal, retornou nesta quinta-feira, 1º, ao trabalho no Hospital Glenfield de Leicester, no centro da Inglaterra, após uma ausência de seis meses para tentar encontrar sua filha. Ao chegar ao hospital, onde é cardiologista, Gerry McCann disse que decidiu voltar ao trabalho após fazer o possível para que a busca de sua filha continue. "Sempre dissemos que, após seis meses (do desaparecimento de Madeleine), não queríamos olhar para trás e dizer: se tivéssemos feito isto, ou aquilo...", afirmou. "Mas agora achamos que fizemos o possível para continuar a busca por Madeleine e achamos que temos a infra-estrutura adequada para encontrá-la", acrescentou. Gerry McCann agradeceu ao pessoal do Hospital Glenfield o apoio recebido nestes seis meses. O pai da menina começará com uma jornada reduzida, três vezes por semana, a fim de se concentrar pouco a pouco no trabalho. Segundo ele, a princípio se dedicará ao trabalho acadêmico e administrativo. O diretor clínico do setor de cardiologia do hospital, Doug Skehan, expressou sua satisfação pelo retorno de Gerry McCann, do qual destacou a dignidade e serenidade com que enfrentou o desaparecimento de sua filha.

Tudo o que sabemos sobre:
madeleine

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.