Pais de Madeleine aceitam se submeter a detector de mentiras

Segundo amigo, casal não vê inconveniente em fazer "qualquer coisa que ajude a restaurar sua reputação"

Efe,

21 de setembro de 2007 | 05h02

Os pais de Madeleine McCann, suspeitos do desaparecimento de sua filha em maio, em Portugal, estão dispostos a se submeter a um detector de mentiras para demonstrar a sua inocência, informou nesta sexta-feira, 21, a imprensa britânica. Gerry e Kate McCann, ambos de 39 anos, não vêem inconveniente em fazer "qualquer coisa que ajude a restaurar sua reputação", afirmou um amigo da família, citado sem identificação por vários jornais. "Se a polícia pedisse, eles se submeteriam a um teste com um detector de mentiras", disse. Os McCann, acrescentou, "insistem que querem cooperar completamente com a polícia portuguesa, mas, até o momento, não receberam esse pedido das autoridades". Há dois dias, Luís Bilro Verão, promotor encarregado do caso, disse que não há provas que justifiquem um novo interrogatório do casal. O porta-voz do casal britânico, Clarence Mitchell, disse que a declaração do promotor "terá que ser estudada com muito cuidado pelo advogado português de Gerry e Kate, mas, à primeira vista, parece animadora". Os investigadores suspeitam que os McCann podem estar envolvidos na morte acidental de sua filha. Cães especialmente treinados pela Polícia britânica detectaram um cheiro de cadáver em seu carro, no apartamento e em objetos pessoais. Madeleine, de 4 anos, desapareceu no dia 3 de maio do quarto onde dormia com seus dois irmãos, num apartamento de um complexo turístico do Algarve, no sul de Portugal, enquanto seus pais jantavam em um restaurante próximo.

Tudo o que sabemos sobre:
MadeleineMcCann

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.