Pais de Madeleine planejam lançar campanha no Marrocos

Campanha dos McCann também será veiculada em Portugal e na Espanha

EFE

30 de setembro de 2007 | 10h38

Os pais de Madeleine McCann planejam lançar no Marrocos uma campanha de anúncios na TV que os ajude a encontrar a filha, desaparecida desde 3 de maio, quando a família passava férias na região do Algarve, no sul de Portugal.  Apesar de a menina fotografada recentemente no Marrocos não ser Madeleine, os McCann suspeitam que sua filha, de 4 anos, possa estar nesse país.   A campanha dos McCann também será veiculada em Portugal e na Espanha, onde serão espalhados cartazes com a foto da menina em supermercados e em outros lugares, destaca neste domingo, 30, o jornal britânico "The Observer".   Enquanto isso, o multimilionário britânico Richard Branson, fundador do império Virgin, criticou neste domingo a Polícia e a imprensa portuguesas. Ele doou mais de 143 mil euros aos pais de Madeleine para ajudá-los a pagar as despesas legais do caso. "A imprensa portuguesa tem agido horrivelmente, divulgando notícias inexatas fornecidas pela própria Polícia e que acabam sendo puro lixo", diz Branson em declarações ao jornal britânico.   O último desses falsos rumores a que o empresário se referiu, segundo o "Observer", dá conte de que os pais de Madeleine, considerados "suspeitos" pela Polícia portuguesa, colocaram o cadáver da menina num freezer e o levaram no porta-malas de um carro alugado para escondê-lo.   Branson compara o atual drama de Kate McCann com o de muitas mães britânicas injustamente acusadas de terem assassinado seus filhos e que acabaram na prisão. "Não duvidei em nenhum momento de sua inocência (de Kate e Gerry McCann) e já vi antes este tipo de situação", disse Branson.   Segundo a publicação, o empresário está encorajando outros milionários a contribuírem para um fundo especial que cobrirá as despesas legais do casal. O dono da Virgin já tinha dado uma grande contribuição ao fundo dedicado às buscas de Madeleine, mas o casal McCann se comprometeu a não utilizar esse dinheiro para sua defesa legal.   Outro jornal, o "News of the World", informa na edição deste domingo que há um novo suspeito do desaparecimento de Madeleine: uma ex-empregada do hotel em que os McCann passavam férias. Segundo o veículo, ela teria sido despedida e quis se vingar seqüestrando a menina.   A pista, aparentemente, foi dada por um e-mail enviado ao site oficial do príncipe Charles, diz o jornal, segundo o qual a Polícia britânica entrou em contato com a mulher apontada na mensagem. De acordo com o "News of the World", o informante anônimo decidiu enviar o e-mail ao herdeiro do trono britânico porque tanto este como sua mulher, Camila, desde o início se mostraram interessados no caso. A Scotland Yard (Polícia de Londres) foi imediatamente avisada e os detetives comprovaram que o nome da empregada demitida estava correto.   Frente às suspeitas de que os McCann poderiam estar envolvidos no desaparecimento e na possível morte de Madeleine, o porta-voz da família, Clarence Mitchell, reiterou no sábado que o casal "não tem nada a esconder e cooperará plenamente com a Polícia portuguesa".   Em meio aos rumores que os tablóides vêm divulgando, o"Sunday Express" afirma que a Polícia marroquina teme que, se Madeleine continuar no país, acabe caindo nas mãos da organização terrorista Al-Qaeda.

Tudo o que sabemos sobre:
madeleine

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.