Pais pedem provas de que Madeleine está morta

Imprensa afirma que autoridades têm evidências de que britânica morreu no dia em que desapareceu de hotel

Efe,

10 de agosto de 2007 | 10h22

Os pais da menina britânica Madeleine McCann, desaparecida na região portuguesa do Algarve, pediram que a Polícia Judiciária portuguesa mostrem as provas que atestam a morte de sua filha em 3 de maio.   Veja também:  Polícia encontra 'mais rastros' de desaparecida  Pais de Madeleine criam canal no Youtube para desaparecidos     Em entrevista a várias televisões portuguesas, Gerry e Kate McCann disseram que esperavam que a investigação seja rápida, para que as dúvidas sobre sua atuação sejam eliminadas.   Sobre as informações da imprensa portuguesa acerca da possível morte de Madeleine na mesma noite em que foi dada por desaparecida no apartamento no qual passava as férias, o casal considerou que "até agora, tudo parece especulação" e que isso está fazendo muito mal a eles.   Em relação às supostas dúvidas da Polícia Judiciária sobre o que aconteceu nas horas antes de denunciarem o desaparecimento da menina, Gerry disse que não acredita que algum dos amigos do casal esteja envolvido neste caso, e que têm "absoluta confiança" neles.   Na entrevista, realizada na casa onde estão desde que saíram há algumas semanas do complexo turístico onde sua filha desapareceu, o casal reconheceu que as investigações voltaram ao ponto de partida, mas disseram que isso não é necessariamente negativo e supõem revisar todos os cenários possíveis.   Em uma antecipação da entrevista que será publicada amanhã no semanário luso Expresso, que apareceu nesta sexta-feira, 10, no site da publicação, os McCann consideram ridículas as suspeitas de seu envolvimento na possível morte da filha, e dizem que a Polícia não lhes deu nenhuma indicação nesse sentido.   "Pensar que matamos nossa filha? É ridículo. É extremamente perturbador sugerir que nossa filha está morta e que a Polícia tem provas disso, e além disso sugerir que nós fizemos isso", disse Gerry McCann .   Afirmaram que eles não queriam protagonismo e que tiveram que contratar assessores de imprensa para lidar com as centenas de jornalistas que se interessaram pelo caso.   O casal afirmou que não sabem como lidar com os jornalistas e que os assessores são a "única maneira" de se proteger, e deram como exemplo o ocorrido nesta semana, na qual a imprensa está "fora de controle", em referência às notícias que os apontavam como suspeitos.   Os pais da menina britânica consideraram que não há nenhum indício de que Madeleine esteja morta, e disse que não aceitarão esse fato até que haja uma "prova definitiva".

Tudo o que sabemos sobre:
Madeleine McCannseqüestroPortugal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.