Papa aceita renúncia de bispo irlandês que encobriu escândalos

John Magee foi secretário de três papas antes de se tornar bispo na Irlanda

Associated Press e Reuters

24 de março de 2010 | 09h17

CIDADE DO VATICANO - O papa Bento XVI aceitou a renúncia do bispo irlandês John Magee após as denúncias de abusos sexuais entre os membros da Igreja Católica surgirem na Irlanda, informou nesta quarta-feira, 14, o Vaticano.

 

O bispo, de 73 anos, foi acusado de encobrir as denúncias de abusos sexuais cometidos por padres na diocese de Cloyne. O Vaticano informou sem dar maiores detalhes que a renúncia pedida por Magee foi aceita pelo pontífice.

 

As investigações ordenadas pelo governo da Irlanda documentaram casos de abuso de padres contra crianças durante décadas, além de encobrimento da Igreja. Em uma carta divulgada no sábado pelo Vaticano, Bento XVI pediu desculpas pelos episódios e não tomou nenhuma ação contra a postura da Igreja irlandesa, limitando-se apenas a criticar seus membros.

 

Antes de se tornar bispo irlandês, Magee foi secretário dos papas Paulo VI, João Paulo I e João Paulo II. Ele estava à frente da diocese de Cloyne, no sul da Irlanda, desde 1987. Em 2008, ele deixou suas funções para responder às acusações de que a diocese não era transparente sobre a as denúncias.

 

As pressões contra membros da Igreja na Irlanda tem crescido, principalmente pela renúncia do primaz Sean Brady. O cardeal sabia da cobertura que era feita sobre os abusos e não se manifestou para a justiça. Ele pediu desculpas pela atitude, mas não ofereceu renúncia.

Tudo o que sabemos sobre:
IgrejaabusosreligiãoMageeIrlanda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.