Papa diz que Deus dá coragem para enfrentar 'maledicências'

Bento XVI pediu ainda paz para a Terra Santa e exortou os cristãos a permanecerem na região

Efe

28 de março de 2010 | 07h50

O papa Bento XVI disse neste domingo, 28, durante a homilia da missa do Domingo de Ramos, que Deus dá a coragem que permite ao homem não se deixar intimidar por "maledicências de opiniões dominantes".

 

Veja também:

link Cardeal defende papa e pede firmeza em investigações de pedofilia 

link Papa era mais próximo de casos de abuso do que se pensava, diz NYT

link Vaticano diz ter descoberto casos de abuso de Murphy 20 anos depois

 

O pontífice, que preside na Praça de São Pedro o rito que abre a Semana Santa, afirmou que o homem pode escolher entre seguir Jesus e se afundar na mentira e na indecência.

 

"Jesus nos conduz para o que é grande, puro. Nos leva para o ar salubre das alturas, para a coragem que não deixa que nos amedrontemos com as maledicências de opiniões dominantes, para a paciência que suporta e sustenta o outro", disse, com voz forte, ante dezenas de milhares de fiéis.

 

Bento XVI pediu a paz para a Terra Santa, para que o lugar onde Cristo nasceu, viveu, morreu e ressuscitou seja "verdadeiramente um local de paz", e exortou os cristãos a permanecerem nessa terra.

 

Pela primeira vez em seus quase cinco anos de Pontificado, Bento XVI, que em 16 de abril completa 83 anos, comandou do papamóvel a Procissão de Ramos na praça de São Pedro do Vaticano.

 

Semana Santa

 

Milhares de pessoas participaram na praça de São Pedro do Vaticano da Procissão do Domingo de Ramos, presidida pelo papa Bento XVI, na abertura dos ritos litúrgicos da Semana Santa.

 

Oliveiras centenárias trazidas da região italiana de Apúlia (sul), galhos de oliveiras procedentes da residência papal de Castel Gandolfo, ao sul de Roma, e palmas procedentes de Elche (Espanha) e Sanremo (Itália) enfeitaram a praça, onde o pontífice entrou no meio dos aplausos dos presentes.

 

Bento XVI, revestido com enfeites vermelhos e levando o cajado, presidiu a procissão, que saiu dos palácios pontifícios e se dirigiu rumo ao obelisco de Sisto V, instalado no centro da praça vaticana.

 

Na jornada na qual a Igreja lembra a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, o papa chegou ao recinto Vaticano no meio do cântico Hosana.

 

Diante do obelisco, adornado com flores vermelhas e verdes, o papa abençoou as palmas e os galhos de oliveira, símbolos da paz.

 

Depois, leu o Evangelho de Lucas que narra a entrada de Jesus na Cidade Santa. Após a procissão, Bento XVI se dirigiu para o altar maior levantado no átrio da praça vaticana para rezar a missa.

 

Neste dia também se celebra a XXV Jornada Mundial da Juventude, este ano em nível diocesano. Milhares de jovens participaram da cerimônia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.