Papa pede todos os esforços para manter a paz na Europa

Bento XVI lembra que os Alpes italianos foram palco da 1ª Grande Guerra e faz apelo pela manutenção da paz

Efe

21 Julho 2007 | 20h44

O papa Bento XVI agradeceu a Deus pelo fato de que "agora temos paz na Europa", e pediu que os europeus "façam tudo para que a paz cresça entre nós e no mundo". O pontífice se referiu à paz na Europa no discurso pronunciado nesta sexta-feira à noite - divulgado neste sábado pelo Vaticano - agradecendo o concerto oferecido pela diocese italiana de Belluno-Feltre, em Lorenzago di Cadore, onde Bento XVI passa suas férias de verão (hemisfério norte).   Bento XVI disse que cantar é amor, e cantar juntos, em coro, "exige levar em conta os outros, o compositor, o maestro e tudo o que se chama música e cultura. Assim, cantar em um coro é uma educação para a vida, educação para a paz e um caminhar juntos".   O papa ressaltou a música da região e lembrou que há noventa anos essas montanhas - os Alpes italianos - eram uma barreira, "um teatro terrível e sangrento de guerra (a Primeira Guerra Mundial)". "Demos graças a Deus porque agora há paz na Europa, e façamos tudo para que a paz cresça em todos nós e no mundo. Tenho certeza de que esta bela música é um compromisso para a paz e uma ajuda a viver em paz", disse o pontífice.   Bento XVI continuou hoje seu descanso nos vales alpinos e amanhã rezará o Ângelus na praça principal de  Lorenzago di Cadore. Em 27 de julho, voltará a Roma e irá para a residência de Castelgandolfo, cerca de 30 quilômetros ao sul da capital, onde passará o resto do verão.

Mais conteúdo sobre:
Vaticano Bento XVI paz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.