Papa volta a enfatizar 'família tradicional' em Roma

Bento XVI repreende apoio a ataque contra o casamento entre um homem e uma mulher

Ansa,

10 de janeiro de 2008 | 13h53

O papa Bento XVI advertiu nesta quinta-feira, 10, que as administrações públicas não devem apoiar ataques "insistentes e ameaçadores" contra a instituição da família, fundada no casamento entre homem e mulher.  A declaração foi feita durante uma audiência do Papa com o prefeito de Roma, Walter Veltroni, o governador da região do Lacio, Piero Marrazzo, e o presidente da província de Roma, Enrico Gasbarra.O Papa fez referência às discussões sobre o registro de uniões civis homossexuais realizadas pela junta municipal de Roma e também denunciou a "gravíssima degradação de algumas áreas de Roma". "Um evento trágico como o assassinato na capital italiana de Giovanna Reggiani colocou bruscamente nossa cidadania frente ao problema não só da segurança, mas também da gravíssima degradação de algumas áreas de Roma", disse o Papa, lembrando a morte da italiana de 47 anos, ocorrida em 30 de outubro passado.  "Especialmente aqui, é necessária, além da emoção do momento, uma obra constante e concreta, que tenha a dupla finalidade de garantir a segurança dos cidadãos e assegurar a todos, em particular aos imigrantes, pelo menos o mínimo indispensável para uma vida honesta e digna", continuou Bento XVI. "Uma emergência que está se agravando em Roma e no Lácio é a da pobreza", que está se ampliando para "situações que pareciam livres" do problema, observou o Papa.  "Os preços das casas, a falta de trabalho e também os salários e as pensões com freqüência inadequadas tornam verdadeiramente difícil as condições de vida de tantas pessoas e famílias", acrescentou Bento XVI.

Tudo o que sabemos sobre:
Bento XVIWalter VeltroniRoma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.