Paris terá 30 mil policiais para evitar queima de carros à 0h

Hábito de incendiar automóveis é praticado por jovens em várias regiões da cidade na virada do ano

Efe,

31 de dezembro de 2009 | 13h34

Cerca de 30 mil policiais serão destacados na França nesta quinta-feira, 31, para evitar a queima de carros na virada do ano e também para fiscalizar o consumo excessivo de bebida alcoólica. As autoridades não querem uma repetição do que aconteceu em 2008, quando 1.147 veículos foram queimados no último dia do ano, 30,64% a mais do que em 2007.

 

A prática de queimar carros na última noite do ano é muito comum em diversas regiões francesas, principalmente pelas mãos de jovens. O presidente francês, Nicolas Sarkozy, apontou diretamente essa fatia da população como a responsável pela queima de carros no ano passado.

 

O principal esquema de segurança será montado em Paris e seus arredores, onde a Prefeitura deve mobilizar oito mil policiais, além de helicópteros e unidades à paisana. Pela primeira vez, a Prefeitura de Paris ficará encarregada da segurança na capital e nas principais cidades da região.

 

As autoridades proibiram para esta noite a venda de certos fogos de artifício, de vasilhas de combustível e de bebidas alcoólicas para levar, com exceção do champanhe, que terá que ser servido em garrafas de plástico.

 

O dispositivo policial será particularmente grande na região dos Champs-Elysées, tradicional ponto de concentração dos parisienses, onde a Prefeitura terá quase dois mil policiais, muitos deles à paisana.

 

Os meios de transporte da capital, abertos de forma excepcional durante a madrugada, também receberão uma vigilância reforçada. Os controles de alcoolemia também serão reforçados em diferentes pontos do país.

 

Segundo um estudo de uma associação de prevenção de acidentes de trânsito e de um grupo de seguradoras, 90% dos franceses consumirá álcool na noite de hoje e 43% assumirão o volante.

Tudo o que sabemos sobre:
Françavirada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.