Alessandra Tarantino/AP
Alessandra Tarantino/AP

Parlamentares da Itália estão entre os mais bem pagos da Europa

Segundo relatório, legisladores italianos recebem US$ 14.600 mensalmente

Reuters

03 de janeiro de 2012 | 15h21

ROMA - Os parlamentares italianos estão entre os mais bem pagos da Europa, com um salário base bruto de 11.283 euros (US$ 14.600), segundo um relatório divulgado nesta terça-feira, 3, que deve provocar raiva em um país que enfrenta duras medidas de austeridade.

Os parlamentares também recebem 3,5 mil euros por mês para cobrir despesas com transporte, entre outros gastos, além de viagens gratuitas de trem, aviões e embarcações e isenção de taxas nas rodovias, disse o relatório.

O documento, elaborado por uma comissão liderada pelo chefe da agência nacional de estatísticas, Enrico Giovannini, foi divulgado quando a Itália enfrenta medidas de austeridade que incluem aumento de impostos e cortes de aposentadoria para tentar controlar sua dívida pública.

O salário dos 630 deputados da câmara baixa da Itália estava mais de 60% acima da média europeia, disse o relatório. O pagamento e subsídios aos 315 senadores eram um pouco maiores.

O pesado custo da política e do governo na Itália e os generosos benefícios obtidos pelo que é conhecido como "a casta" de políticos privilegiados e funcionários públicos é uma fonte de raiva disseminada em um momento em que a crise econômica se espalha na Itália.

Reduzir as despesas e diminuir várias administrações regionais e locais e autoridades públicas que se sobrepõem está entre as prioridades do governo tecnocrata do primeiro-ministro, Mario Monti.

Com os protestos crescendo sobre as duras medidas de austeridade, os parlamentares foram rápidos em se defender de acusações de que estavam recebendo benefícios generosos indevidamente.

Antonio Mazzocchi, deputado do partido de centro-direita PDL, disse que quando se levava em conta todos os benefícios, o relatório mostrava que os parlamentares italianos não eram especialmente bem pagos.

Ele destacou subsídios maiores na Alemanha e na França e notou que os parlamentares italianos eram taxados de maneira mais forte do que seus colegas em outros países. "Tudo isso para dizer que quem apontar o dedo para os parlamentares como uma casta dedicada a gastar ou não conhece os fatos ou quer punir os políticos por motivos ideológicos", disse em um comunicado.

O relatório comparou os salários de parlamentares italianos com os de seus colegas na Alemanha, França, Espanha, Bélgica, Holanda e Áustria. O salário-base em média para os outros seis países era de 6.937 euros, variando de 2.813,90 euros ganhos pelos parlamentares espanhóis para os 8.503,90 euros pagos aos deputados holandeses.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliaEuropacrisMonti

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.