Parlamento alemão é parcialmente fechado por suspeita de ataque

Autoridades receberam informações sobre plano de extremistas islâmicos para atacar o local

Reuters

22 de novembro de 2010 | 10h11

Policiais cercam o Parlamento; visitas de turistas foram canceladas.

 

BERLIM - O Reichstag, sede do Parlamento alemão, em Berlim, foi fechado nesta segunda-feira, 22, à visitação pública depois que as autoridades receberam informações sobre um plano de extremistas islâmicos para atacar o local.

Uma das atrações turísticas mais populares da Alemanha, a cúpula do Reichstag é visitada por cerca de 3 milhões de pessoas por ano. Nesta segunda-feira, apenas grupos com reserva antecipada tiveram permissão para cruzar as barreiras policiais e entrar no edifício, construído no século 19.

Um porta-voz do Reichstag não deu explicações para a interdição para os turistas que pretendiam visitar áreas na parte de cima da edificação e as autoridades não informaram por quanto tempo essas áreas ficarão fechadas.

A revista Der Spiegel destacou no sábado que um extremista islâmico residente no exterior informou sobre um plano de militantes armados para entrarem no prédio do Reichstag, no centro de Berlim, e abrir fogo.

Segundo a Spiegel, a informação levou as autoridades a anunciar na quarta-feira que estavam elevando as medidas de segurança no país, especialmente em lugares públicos como aeroportos e estações de trens.

O ministro do Interior, Thomas de Maiziere, disse na quinta-feira que as autoridades estavam em alerta contra ameaças de um ataque armado do tipo que resultou na morte de 166 pessoas na cidade indiana de Mumbai, em 2008.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.