Parlamento italiano aprova orçamento de 2014

O Parlamento da Itália deu sua aprovação final nesta segunda-feira ao orçamento do governo para 2014, depois que a coalizão do primeiro-ministro Enrico Letta ganhou um voto de confiança no Senado para o pacote de medidas.

Reuters

23 de dezembro de 2013 | 17h21

A Câmara Baixa aprovou o pacote na sexta-feira.

O orçamento prevê que o déficit público italiano permanecerá dentro do limite de endividamento estabelecido pela União Europeia. No entanto, vem sendo amplamente criticado por não ir longe o bastante no corte de impostos e gastos ou no estímulo ao crescimento da economia, depois de dois anos de recessão no país.

Letta disse na semana passada que o orçamento era o máximo que o governo podia fazer para garantir a credibilidade das finanças públicas da Itália.

Depois da última emenda na Câmara Baixa, o orçamento final passou a prever novos compromissos de gastos de 14,5 bilhões de euros custeados por recursos adicionais de 12,2 bilhões de euros, resultantes de receitas mais elevadas com impostos e cortes de despesas, deixando uma lacuna de cerca de 2,5 bilhões de euros.

Em declarações poucas horas antes de o orçamento receber a aprovação final do Parlamento, Letta reiterou seu compromisso com o corte de impostos pagos pelos trabalhadores e empregadores, que será possível em razão de uma ampla revisão nas despesas e da repressão à evasão fiscal.

"Essas intervenções vão reduzir a tributação sobre o trabalho", disse ele em entrevista à imprensa por ocasião do encerramento do ano, acrescentando que o governo planeja novas medidas contra a evasão fiscal em um pacote de reformas a ser apresentado em janeiro.

Ele afirmou que a credibilidade extra que seu governo conquistou desde que chegou ao poder já permitiu à Itália reduzir os custos do endividamento. Os juros sobre sua expressiva dívida de 2 trilhões de euros devem alcançar 83 bilhões de euros em 2013 - uma queda em relação aos 89 bilhões de euros estimados no ano passado, disse ele.

Em separado, o governo obteve um voto de confiança na Câmara Baixa para um pacote de medidas fiscais.

(Reportagem de James Mackenzie)

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIAORCAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.