Parlamento russo expulso deputado de oposição a Putin

O Parlamento russo expulsou um parlamentar de oposição ao presidente Vladimir Putin nesta sexta-feira, em uma votação que o deputado cassado disse ser uma intensificação da repressão do governo aos dissidentes e pareceu um julgamento teatral ao estilo stalinista.

Reuters

14 de setembro de 2012 | 08h01

A votação na câmara baixa, o Duma, cassou a imunidade parlamentar do deputado da oposição Gennady Gudkov por acusações de que ele escondeu ter administrado um negócio enquanto ocupava o cargo na assembleia. O crime pode resultar numa condenção de dois anos de prisão.

Líderes da oposição disseram que a expulsão, um dia antes de um protesto em Moscou, foi um sinal claro de que Putin está determinado a sufocar a oposição em seu novo mandato de seis anos como presidente.

"Tudo que está acontecendo aqui é um julgamento teatral sem lei. É uma vingança política e uma punição extrajudicial", disse Gudkov, de 56 anos, ao Duma antes da votação que o expulsou por 291 a 150 votos.

"Recebi o meu mandato do povo, de centenas de milhares de eleitores que votaram em mim, e apenas eles podem julgar o tipo de deputado que sou", disse.

O deputado, membro do partido Rússia Justa --que deixou de apoiar o Rússia Unida, de Putin, e passou para a oposição-- levantou-se e saiu da câmara após a votação, com o punho erguido.

Na Rússia, os deputados não podem administrar empresas enquanto ocupam uma cadeira no Congresso.

Gudkov disse que as acusações contra ele são "uma farsa" e circulou uma lista com nomes de aliados de Putin na câmara que, segundo ele, são empresários.

Putin, que voltou ao Kremlin em maio, é acusado pela oposição de reprimir os dissidentes. Entre as medidas criticadas, o presidente sancionou uma lei que restringe os protestos nas ruas.

(Reportagem de Nastassia Astrasheuskaya)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAPUTINDEPUTADOEXPULSO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.