Partido anti-UE obtém primeira cadeira no Parlamento britânico, com grande votação

Crítico da União Europeia, o Partido da Independência da Grã-Bretanha (Ukip, na sigla em inglês) conquistou sua primeira cadeira no parlamento nesta sexta-feira por uma larga margem e chegou em segundo por uma diferença pequena em outra votação, provando ser uma ameaça aos dois principais partidos do país na eleição nacional do ano que vem.

ANDREW OSBORN, REUTERS

10 de outubro de 2014 | 11h41

Era esperado que o Ukip, que quer que a Grã-Bretanha saia da UE e restrinja a imigração, fosse bem nas duas eleições, mas a margem inesperadamente grande de votos de sua vitória na cidade litorânea de Clacton e seu ótimo desempenho em um pleito no norte inglês, que quase venceu, surpreenderam.

Em Clacton, a legenda obteve 60 por cento dos votos depois que o representante local do Partido Conservador do primeiro-ministro britânico, David Cameron, debandou para o Ukip, que não teve candidato na região em 2010.

Em Heywood e Middleton, no norte da Inglaterra, um reduto do oposicionista Partido Trabalhista, o Ukip levou quase 39 por cento dos votos, tendo obtido menos de 3 por cento quatro anos atrás.

“Não há nada fora do nosso alcance”, declarou Douglas Carswell, novo parlamentar de Clacton, agora no Ukip, aos seus apoiadores. “Nosso sucesso ameaça dividir o voto na centro-direita e conquistar parte do voto na esquerda tradicional também, tornando mais difícil para qualquer partido obter a maioria absoluta”.

O sucesso do partido anti-UE, quatro meses depois que ganhou as eleições europeias na Grã-Bretanha e sete meses antes de uma eleição nacional, ameaça romper um ciclo de poder há várias gerações, pelo qual os dois principais partidos do país, o Conservador e o Trabalhista, se revezam no governo.

A Grã-Bretanha já tem um governo de coalizão, o primeiro desde a Segunda Guerra Mundial, e a ascensão do Ukip, se se mantiver, promete fazer com que tais arranjos de governo sejam mais comuns em sexta maior economia do mundo.

Tudo o que sabemos sobre:
GRABRETANHAUKIPPARLAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.