Georg Houchmuth/APA
Georg Houchmuth/APA

Partido conservador da Áustria lidera eleições legislativas, afirma televisão pública

Com eventual vitória, o primeiro-ministro conservador Sebastian Kurz retorna ao poder do país quatro meses após afastamento

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2019 | 13h47

O partido do conservador Sebastian Kurz lidera as eleições legislativas da Áustria neste domingo, 29, o que lhe permitiria voltar ao cargo de primeiro-ministro quatro meses após o escândalo de Ibizagate, que resultou em seu afastamento. Segundo projeções da televisão pública, o conservador ÖVP teve 37,2% dos votos, melhorando sua pontuação de 2017 em quase seis pontos.

 

 

O primeiro mandato de Kurz, formado em 2017 com os ultra-direitistas do FPÖ, não resistiu a revelações comprometedoras sobre o chefe do FPÖ e o número dois do governo. O executivo se dissolveu em maio, após 18 meses de legislatura, e foi preciso convocar eleições antecipadas. Após o escândalo, a televisão pública da Áustria estima que o antigo partido de Kurz, o FPÖ, perdeu cerca de dez pontos em comparação com as eleições de 2017, obtendo cerca de 16% dos votos. Após o conservador ÖVP, os sociais-democratas ficaram em segundo lugar no pleito, com cerca de 22% dos votos. Em uma campanha na qual os desafios climáticos substituíram a questão da migração, dominada no legislativo de 2017, os Verdes alcançaram entre 13% e 14% do público, registrando um aumento importante após deixarem o Parlamento há dois anos, quando receberam apenas 4% dos votos. O partido liberal NEOS foi a quinta força do Parlamento, com cerca de 7% dos votos.

Em maio de 2018, o governo de Sebastian Kurz entrou em uma crise após a imprensa local divulgar um vídeo no qual o então vice-chanceler Heinz-Christian Strache promete à suposta sobrinha de um oligarca russo contratos públicos em troca de verbas para a campanha eleitoral./AFP e EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Áustria [Europa]Sebastian Kurz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.