Partido defende Merkel após derrota em eleição regional na Alemanha

Coalizão do Partido Verde e Partido Social Democrata deve assumir o poder na região sudeste

NOAH BARKIN, REUTERS

28 de março de 2011 | 09h25

BERLIM - O partido conservador da chanceler alemã, Angela Merkel, disse nesta segunda-feira, 28, que seguia unido no apoio a ela depois que alguns membros culparam a líder por uma perda humilhante nas eleições estaduais em Baden-Wuerttemberg.

Uma coalizão de membros do Partido Verde e do Partido Social Democrata deve assumir o poder na região sudoeste depois que uma eleição no domingo tirou os conservadores de Merkel de uma liderança que durava mais de seis décadas.

A derrota ocorreu depois que Merkel surpreendeu muitos de seus aliados conservadores ao reverter uma política de energia nuclear após o terremoto, tsunami e desastre nuclear no Japão.

"Os conservadores seguem unidos em apoio a Angela Merkel", disse Hermann Groehe, o secretário-geral do União Democrata-Cristã (CDU) de Merkel, à televisão estatal ARD nesta segunda-feira. "Precisamos assumir os atuais desafios juntos."

As ações de empresas prestadoras de serviços públicos na Alemanha caíram e as de recursos renováveis subiram, esperando uma votação que poderia acelerar o afastamento da energia nuclear.

O Deutsche Bank disse em uma nota que a eleição levaria a um "reordenamento radical da política de energia nuclear da Alemanha, e uma agenda acelerada para o fechamento permanente de alguns ou todos os 17 reatores nucleares do país".

Sinais de divergência dentro da coalizão conservadora de Merkel estavam evidentes horas depois da divulgação dos resultados das eleições, e um membro proeminente do CDU criticou a chanceler por sua mudança radical na postura sobre a energia nuclear.

Membros do partido aliado CSU também culparam Merkel pela derrota, criticando as políticas de seu governo na Europa, em impostos e energia.

Tudo o que sabemos sobre:
ALEMANHAMERKELCRITICAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.