Passeata contra estação ferroviária termina com 30 presos na Alemanha

Manifestantes afirmam que projeto 'Stuttgart 21' é desperdício de dinheiro em tempos de crise

Efe,

25 de setembro de 2010 | 05h17

BERLIM - A polícia alemã deteve cerca de 30 pessoas na noite de sexta-feira para sábado, 25, em Stuttgart (sudoeste do país), ao término de uma manifestação de aproximadamente 30 mil pessoas contra a construção de uma estação ferroviária considerada um desperdício.

 

Segundo informaram fontes policiais, a manifestação, convocada pelos opositores do projeto "Stuttgart 21", tinha percorrido o centro da capital do Estado de Baden-Württemberg sem incidentes, mas depois jovens iniciaram ações de bloqueio, com fileiras de pessoas sentadas e barricadas.

 

Os jovens entraram em conflito com os homens antidistúrbios, que até o início da madrugada não tinham conseguido conter a manifestação.

 

A passeata foi a mais numerosa em semanas de protestos de grupos de cidadãos contra a estação, e se desenvolveu ao término de uma reunião entre autoridades e responsáveis pelo projeto com os detratores da obra.

 

As mobilizações contra a "Stuttgart 21" aumentaram nos últimos dias, enquanto cresce, além disso, a pressão sobre o Governo do "Land" de Baden-Württemberg, liderado pela União Democrata-Cristã (CDU) da chanceler Angela Merkel.

 

Os protestos contra o projeto começaram com manifestações semanais e concentrações perante a antiga estação da cidade em julho.

 

Apesar disso, os operários seguiram adiante com a demolição das velhas dependências, e deram prosseguimento às obras para a construção da nova estação, cujo orçamento chega a sete bilhões de euros.

 

Os opositores do projeto acreditam, no entanto, que o custo final estará entre dez bilhões e 18 bilhões de euros, o que se contradiz com a política de austeridade em tempos de crise.

Tudo o que sabemos sobre:
protestoAlemanhaStuttgartpasseata

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.