Pedófilo britânico culpado de 90 casos pega prisão perpétua

Membro da associação de pais de uma escola obtinha silêncio em troca de brinquedos e doces

Ansa,

01 de setembro de 2007 | 12h56

Um pedófilo inglês culpado de quase 90 episódios de abuso sexual foi condenado a prisão perpétua no Reino Unido. O juiz que o sentenciou definiu o caso como "o pior que já encontrou em sua carreira". Anthony Barron, 54, de Grove, Oxfordshire, aproveitou sua posição como membro da associação de pais de uma escola para se aproximar de crianças, abusar delas e obter seu silêncio em troca de brinquedos e doces. O pedófilo cometeu o crime contra crianças a partir de três anos de idade, e não mostrou arrependimento algum, considerando suas vítimas "como brinquedos", afirmou o juiz.Barron, ex-executivo de um banco, gozava da confiança dos pais e, em uma ocasião, chegou a molestar uma criança enquanto sua mãe estava no quarto ao lado. Os abusos terminaram quando, ano passado, uma criança contou à mãe o que estava acontecendo. Durante as buscas na casa do pedófilo, a polícia encontrou uma coleção de vídeos e fotografias graças aos quais reconstituiu a extensa carreira de Barron como pedófilo.  Alguns dos vídeos foram mostrados ao júri durante o processo e, devido ao conteúdo escabroso, o juiz decidiu eximir seus integrantes da obrigação de participar de um tribunal nos próximos dez anos.  "Em meus 28 anos de serviço jamais vi um abuso infantil deste nível. Anthony Barron é um predador astuto e extremamente perigoso, além de ser um homem pérfido", afirmou Bob Owen, da polícia do Tamisa, que conduz as investigações.

Tudo o que sabemos sobre:
PedofiliaReino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.