Reuters
Reuters

Pela primeira vez, Lituânia elege uma mulher como presidente

Dalia Grybauskaité teve 68,17% dos votos no primeiro turno, a maior percentagem de votos da história do país

Efe,

18 de maio de 2009 | 08h55

A comissária europeia Dalia Grybauskaité ganhou ontem as eleições presidenciais na Lituânia no primeiro turno com 68,17% dos votos, a maior percentagem de votos em uma eleição à chefia do Estado nesse país báltico, informou hoje a Comissão Eleitoral Central. É a primeira vez que uma ex-república soviética do Báltico elege uma mulher como chefe de Estado.

 

Segundo dados preliminares e após a apuração de todas as cédulas, pela candidata independente e comissária europeia votaram um total de 946.976 pessoas, com uma participação de 51,67%.

É a segunda vez desde a independência da Lituânia, em 1991, que o presidente é eleito já no primeiro turno, como ocorreu no pleito de 1993, nos quais ganhou Algirdas Brazauskas.

 

Para vencer no primeiro turno, um candidato deve obter mais da metade dos votos emitidos, sempre que a participação supere 50%.

 

Nas eleições de ontem, o líder social-democrata, Algirdas Butkevicius, obteve 11,7% dos sufrágios, seguido do candidato da legenda Ordem e Justiça, Valentinas Mazuronis, com 6,09%.

Eles são seguidos pelo candidato da associação dos poloneses da Lituânia, Waldemar Tomaszewski, com 4,69% dos votos, e a ex-primeira-ministra Kazimira Prunskiene, dirigente da União de Camponeses, com 3,86%.

A representante do Partido Trabalhista, Loreta Grauziniene, obteve 3,57% dos votos, e o general-de-brigada em reserva Ceslovas Jezerskas, 0,66%.

Só o ex-chefe do Estado Brazauskas, com mais de um milhão de sufrágios obtidos, superou Grybauskaité em número de votos em eleições presidenciais embora tenha somado 60,1% das cédulas, já que no pleito de 1993 a participação foi maior.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Lituânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.