Pesquisas apontam vitória de premiê ucraniano no Parlamento

Viktor Yanukovich deve superar aliança de opositores que lideraram protestos pela sua saída em 2004

Associated Press e Agência Estado,

30 de setembro de 2007 | 19h31

Pesquisas de boca-de-urna davam neste domingo, 30, ligeira vantagem ao partido do primeiro-ministro da Ucrânia, Viktor Yanukovich, nas eleições antecipadas para escolher o novo Parlamento do país. De acordo com a pesquisa, o partido do chefe de governo teria conseguido 35,5% dos votos. No entanto, uma aliança feita na última hora entre o presidente Viktor Yushchenko e a ex-primeira-ministra Yulia Tymoshenko poderia tirar Yanukovich do poder.Os ucranianos foram às urnas neste domingo em um processo eleitoral convocado antecipadamente com o objetivo de encerrar uma persistente disputa de poder entre os dois principais líderes do país que paralisou o governo.De acordo com boca-de-urna divulgada minutos depois do fechamento das urnas, às 16h em Brasília, o partido de Viktor Yanukovych venceria por estreita margem o bloco liderado por Yulia Tymoshenko.Ainda segundo a sondagem, o partido de Yanukovich venceria o pleito com 35,5%, seguido pelo bloco de Tymoshenko, com 31,5%. O partido do presidente Viktor Yushchenko aparecia com 13,4%, num distante terceiro lugar. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos.O primeiro-ministro Yanukovych confia no apoio do leste industrial da Ucrânia para que seu país volte a obter a maioria dos votos e forme uma coalizão majoritária no Parlamento.Já o presidente Yushchenko deposita suas esperanças em uma aliança de última hora forjada com a oposicionista Tymoschenko. Caso a soma dos votos de seus partidos supere a obtida pela agremiação de Yanukovich, eles poderiam tentar formar uma coalizão capaz de desbancar o primeiro-ministro.Os primeiros resultados parciais são esperados somente para o fim da noite deste domingo ou para as primeiras horas de segunda-feira. A ex-premiê e Yushchenko, antigos aliados dos protestos maciços de 2004 que ficaram conhecidos como Revolução Laranja, fizeram um acordo que permite aos dois formar uma coalizão no Parlamento para tirar Yanukovich do poder. Tymoschenko seria a provável sucessora no cargo.O presidente ucraniano descreveu a eleição como uma escolha entre o futuro e o passado. "A escolha é entre duas alternativas: estabilidade falsa e mudança", afirmou Yushchenko. "Estou convencido de que hoje, a nação escolherá pela mudança."A eleição parlamentar foi antecipada para pôr fim a um impasse político que opunha políticos leais ao primeiro-ministro Viktor Yanukovich, pró-Rússia, aos partidários de Yushchenko, pró-Ocidente, eleito depois da Revolução Laranja.

Tudo o que sabemos sobre:
Ucrâniaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.