Pior seca em décadas obriga Barcelona a importar água

Primeiro barco chega ao porto nesta terça-feira trazendo 19 milhões de litros na véspera do verão europeu

Agência Estado e Associated Press,

13 de maio de 2008 | 12h20

A pior seca que atinge a Espanha em décadas obrigou a cidade de Barcelona a começar a trazer nesta terça-feira, 13, água potável em barcos. É um esforço sem precedentes, às vésperas da temporada de férias de verão no país. Uma embarcação com 19 milhões litros de água, vinda da vizinha Tarragona, atracou na terça-feira de manhã no porto barcelonês. Um barco vindo de Marselha, na França, é aguardado para os próximos dias.   A cidade portuária no Mediterrâneo espanhol está entre as mais afetadas, na pior seca na época da primavera a atingir o país desde o início dos registros, há quase 60 anos. Com as reservas de água em níveis preocupantes e sem chuvas à vista, as autoridades regionais esperam pode resistir até que uma planta de dessalinização esteja pronta, em maio do ano que vem.   O governo da Catalunha, da qual Barcelona é a capital, informou que seis navios mensais trariam 1,66 milhão de metros cúbicos de água. Isso apenas basta para satisfazer 6% das necessidades mensais dos 5,5 milhões de habitantes da região. Os embarques devem durar pelo menos três meses.   "Tem sido um dos anos mais secos da história e Barcelona se encontrou em necessidade de água", resumiu Leonard Carcole, diretor-geral da Águas de Barcelona, companhia municipal. As autoridades temem que o nível de água caia a 15% nos reservatórios. Nesse nível, ela não é recomendável para o consumo humano.   Com a temporada de verão muito próxima, a região se mobilizou para evitar severos cortes na distribuição. As fontes das cidades e os chuveiros instalados em praias foram fechados e foi estabelecido um limite para se encher grandes piscinas.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhaseca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.