AP
AP

Pivô da separação de Berlusconi diz ser virgem

Mulher do premiê pediu o divórcio quando soube que o marido foi ao aniversário de 18 anos da menina

Efe,

12 de maio de 2009 | 10h03

Noemi Letizia, a jovem que teria causado o pedido de divórcio de Veronica Lario do primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, confessa que é virgem, que tem namorado e que gosta de ir às compras, a jantares, ao cabeleireiro e fazer as unhas. A jovem de 18 anos, voltou a aparecer na revista "Chi", da editora Mondadori - de Berlusconi -, e fala do namorado, chamado Domenico, que é o único que lhe deu "um beijo verdadeiro", diz.

 

A gota d'água para o pedido de separação da mulher de Berlusconi teria sido quando ela soube que o marido foi, em 26 de abril, ao aniversário de 18 anos de Noemi em Nápoles, quando nem sequer tinha ido aos de seus próprios filhos, segundo a ex-atriz. Para piorar, Noemi disse aos jornalistas que chamava Berlusconi de "papi" e que ele ia visitá-la em Nápoles, porque ela não podia ir sempre a Roma e a Milão.

 

Noemi não fala na entrevista à "Chi" sobre sua relação com Berlusconi, mas explica que, para ela, "a virgindade é um valor importante", que ainda não "deu o grande passo" e espera que o que ela chama de "fatídica primeira vez" seja com o atual namorado. A jovem também conta como gasta seu dinheiro: "Compras, jantares, cabelereiro e esteticista. Adoro cuidar das unhas. Deixo-as crescer e depois pinto. Nesse momento, elas estão da cor violeta".

 

Noemi Letizia diz que gostaria de posar para um calendário e fala de seu book de fotos, que entregou a Berlusconi porque quer trabalhar na televisão. "Disseram que posei seminua aos 15 anos, falso. Só há pouco tempo decidi fotografar", diz. Noemi também anuncia que fará um filme na qual interpretará a filha de uma família atingida pelo terremoto de Abruzzo, ocorrido em 6 de abril e que causou quase 300 mortes.

 

Divórcio

 

O primeiro-ministro da Itália pretende atrasar seu divórcio de Verónica Lario para depois das eleições europeias de junho, com o objetivo de evitar possíveis repercussões em seu partido político, assegura o diário "Il Messaggero".

 

Segundo o jornal, Berlusconi está convencido de que seus altos índices de popularidade continuam após o escândalo por seu divórcio, mas quer se assegurar de que sua legenda, o Povo da Liberdade (PDL), não sofrerá nenhum dano eleitoral por causa deste assunto. "É verdade que os dados se mantêm, mas é melhor resolver a situação reduzindo ao mínimo os danos", comentou o político italiano em seu círculo mais próximo, segundo a edição de hoje do "Il Messaggero".

 

O escândalo explodiu no primeiro fim de semana de maio, quando a imprensa italiana anunciou a intenção de Lario de se divorciar de Berlusconi, após ter criticado a decisão de seu marido de incluir "jovens beldades" nas listas das eleições europeias.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliaSilvio Berlusconi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.