Placa de campo de concentração de Auschwitz é roubada

Polícia polonesa oferece uma recompensa de 1,2 mil euros para quem encontrar o objeto histórico

Efe,

18 de dezembro de 2009 | 11h54

Sobreviventes do Holocausto deixam campo após visita. Foto: Peter Andrews/Reuters - 27/01/2009

VARSÓVIA - A famosa placa da entrada do campo de concentração de Auschwitz, na Polônia, com os dizeres 'O trabalho liberta' (Arbeit Macht Frei, em alemão) foi roubada nesta sexta-feira, 18.

A polícia local ofereceu uma recompensa de 1,2 mil euros para quem encontrar o objeto. Para as autoridades polonesas, a recuperação da placa é uma questão de honra.

"Este lugar está protegido, mas era impensável que algo assim acontecesse", disse o porta voz do museu de Auschwitz, Jaroslaw Mensfelt.

Uma cópia do artefato, feita em 1940 pelo prisioneiro Jan Liwacz foi colocada no campo. Mais de um milhão de prisioneiros, a maioria judeus, foram mortos no campo de concentração durante a Segunda Guerra Mundial.

 

A expressão surgiu em 1872, em um livro de mesmo nome escrito pelo nacionalista alemão Lorenz Diefenbach, e foi adotada como slogan pela República de Weimar em 1928 para impulsionar as políticas contra o desemprego e a crise do entreguerras. Quando os nazistas assumiram em 1933, aproveitaram o slogan.

 

Segundo o livro "Auschwitz, uma nova história", de Laurence Rees, a frase, com um grau sombrio de ironia, foi colocada em Auschwitz a pedido de Theodor Eicke, chefe da SS para campos de concentração. Ela também foi usado em Dachau, Gross-Rosen , Sachsenhausen, e Theresienstadt Ghetto.

Tudo o que sabemos sobre:
Segunda GuerraAuschwitz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.