Pó suspeito é enviado a consulados de países ocidentais em Istambul

Pacotes com um pó amarelo não identificado foram enviados para cinco consulados de países ocidentais em Istambul nesta sexta-feira, disseram autoridades, gerando alertas de segurança depois de dois ataques de militantes no Canadá nesta semana.

JONNY HOGG, REUTERS

24 de outubro de 2014 | 17h31

Os consulados de Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha e Bélgica receberam os pacotes suspeitos, confirmaram as autoridades. Não estava imediatamente claro o que era o pó e autoridades turcas disseram que os resultados dos testes devem ser divulgados na próxima segunda-feira.

Dezesseis pessoas foram hospitalizadas como medida de precaução de três embaixadas diferentes, incluindo 10 do consulado canadense, disse o ministro da Saúde turco em comunicado. O hospital que estava tratando os canadenses informou que o cônsul estava entre eles.

Um funcionário do consulado canadense teve contato direto com o pacote e seis outros tiveram exposição indireta, confirmou a agência de gerenciamento de desastres turca, AFAD, em comunicado.

As equipes do consulado alemão e belga também estavam sendo monitoradas no hospital, disse o Ministério da Saúde.

Um porta-voz da embaixada dos Estados Unidos confirmou que o consulado recebeu um envelope "suspeito" que continha o pó, mas disse que foi tratado conforme os protocolos de segurança e o consulado continuou aberto.

O governador de Istambul confirmou que o consulado francês também recebeu um pacote parecido.

Equipes descontaminaram os consulados canadense e belga e estavam trabalhando para limpar o alemão, disse o porta-voz da AFAD Dogan Eskinat. Outros consulados e embaixadas estavam analisando as suas políticas de segurança.

"Havia um pacote com algum pó amarelo, suspeito, e foi enviado para a missão canadense em Istambul, e foi enviado para diversas outras missões diplomáticas estrangeiras", disse o ministro canadense de Relações Exteriores, John Baird, em Ottawa.

"Por um excesso de cautela, nós fechamos as atividades do consulado até que seja possível garantir a segurança de todos os nossos funcionários."

Os consulados e embaixadas canadenses estão em alerta maior depois dos dois ataques no Canadá.

Michael Zehaf-Bibeau, 32, um cidadão canadense que se converteu ao islamismo, atirou e matou um soldado no Museu Nacional da Guerra em Ottawa na quarta-feira, antes de invadir os prédios do Parlamento. Ele foi morto pelos guardas em troca de tiros.

Dois dias antes, Martin Rouleau, um jovem de 25 anos que se converteu ao islamismo, atropelou dois soldados canadenses em Québec, matando um, segundo informações da polícia. Ele também foi morto pelas forças de segurança.

(Reportagem de Ece Toksabay em Istambul, Jonny Hogg e Yesim Dikmen em Ankara)

Tudo o que sabemos sobre:
TURQUIAPOSUSPEITOCONSULADOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.