Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Polícia alemã detém dois suspeitos de integrar grupo terrorista

Autoridades aumentaram efetivo na Oktoberfest apó publicação de ameaças ao país por missão no Afeganistão

Associated Press,

28 de setembro de 2009 | 11h52

Dois homens suspeitos de terem ligações com grupos extremistas islâmicos fora detidos nesta segunda-feira, 28, pela polícia de Munique, segundo as autoridades. As forças de segurança também confirmaram o aumento do policiamento na Oktoberfest, tradicional festival local, após a publicação de vídeos de terroristas fazendo ameaças na internet.

 

Os dois homens, de origem árabe, foram presos no sábado, no mesmo dia em que as autoridades proibiram os aviões de sobrevoarem a área onde é realizado o festival, segundo chefe da Polícia de Munique, Wilhelm Schmidbauer. O tráfego na região do local da Oktoberfest, o Theresienwiese, também sofreu algumas restrições.

 

Pelo menos cinco vídeos feitos por grupos terroristas islâmicos como a Al-Qaeda e o Taleban ameaçaram a Alemanha nas últimas semanas. Um vídeo divulgado na sexta-feira mostrava imagens da Oktoberfest e ameaçava atacá-la.

 

Na última mensagem, uma gravação de 28 minutos de áudio publicada ainda nesta segunda-feira, o vice-líder da al Qaeda, Ayman al-Zawahri, criticou a Alemanha e a Turquia, dizendo que os europeus estão mentindo sobre seus objetivos na missão do Afeganistão e que os turcos estão tomando parte da guerra contra outra nação islâmica.

 

O Ministro do Interior alemão, Joachim Herrmann, disse nesta segunda que dois vídeos se referiam ao festival, mas acrescentou que "não há nenhuma evidência concreta de ataque à Alemanha".

 

Schmidbauer disse que um dos detidos fez contato com Bekkay Harrach, identificado como um dos narradores dos recentes vídeos. O outro preso conhecia Harrach através de um parente. O chefe policial não divulgou seus nomes, mas garantiu que ambos vivem na Alemanha há algum tempo. "Não vmaos dar nomes porque não há acusações formais", argumentou.

 

Dois juízes aprovaram um pedido da Polícia de manter os suspeitos em "custódia preventiva" até o fim da Oktoberfest, no próximo domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.